Tá saindo mais um: Amazonino faz ‘desmonte’ no governo em busca da reeleição

O governador Amazonino Mendes (PDT) está fazendo um desmonte na máquina pública para trabalhar em sua reeleição. Desde abril deste ano, quatro secretários deixaram as pastas para disputar as eleições e/ou apoiar a reeleição do governador.

Nesta segunda-feira (27), mesmo com a saúde pública cheia de problemas, o então secretário estadual (e médico particular do governador), Francisco Deodato, reuniu os gestores da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) para anunciar que deixaria o comando da pasta para se dedicar integralmente à campanha de Amazonino. A Susam passa a ser comandada por Orestes de Melo Filho.

Deodato é tido como ‘homem de confiança’ do governador, responsável pelo comando da comissão de transição do governo interino, a quem Amazonino confia sua saúde e as articulações político-partidárias e institucionais.

Quem também deixou o Governo para se dedicar integralmente à campanha de Amazonino foi o então titular da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Orsine Oliveira Júnior que, segundo fontes palacianas, se autodenomina estrategista da campanha à reeleição do governador – bom lembrar que ele também foi estrategista da campanha do também candidato à reeleição José Melo, cassado por crime eleitoral e preso por corrupção. Orsine é um dos coordenadores da campanha de Amazonino e atua nos bastidores dando os ‘tons’ da campanha à reeleição do líder político –

Mas, o primeiro a deixar o Governo para se dedicar às eleições foi o vice-governador e então secretário de Segurança Pública, Bosco Saraiva (Solidariedade). Ele deixou a segurança pública em meio à guerra entre os traficantes e os altos índices de criminalidade para se dedicar não só a campanha do governador, mas também a sua: Bosco disputa uma das vagas do Amazonas na Câmara dos Deputados. Desde então, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) vem sendo comandada pelo tenente-coronel Anézio Paiva.

Bosco saiu e abriu a porteira para outras debandadas no alto escalão do governo. Entre elas está a do então secretário executivo da SSP-AM, coronel Amadeu Soares. Um dos responsáveis pela implantação do Programa Ronda no Bairro, o coronel deixou a SSP também para cuidar da própria campanha: ele é candidato a deputado estadual nessas eleições. Enquanto isso, a secretária-executiva passou a ser de responsabilidade da delegada Juliana Tuma.

Outra que deixou o governo para cuidar da sua campanha foi a então secretária de Esportes, Janaína Chagas, também candidata a deputada estadual. A Sejel passou a ser comandada por Manoel Almeida (PPS).