Teatro Amazonas recebe estreia de ópera trágica

A terceira obra a ser apresentada no Festival Amazonas de Ópera (FAO) será a ópera “Tosca”, uma das mais teatrais do compositor italiano Giacomo Puccini. A estreia será neste sábado (11), às 20h, no Teatro Amazonas, e conta a trágica história da cantora Floria Tosca.

Marcada por violência e ação contínua,“Tosca” estreou em 1900 no Teatro Costanzi, em Roma, e é baseada em uma peça do dramaturgo francês Victorien Sardou, de 1887. O enredo narra a trama da célebre cantora de ópera Floria Tosca; do pintor Mario Caravadossi; e do chefe de polícia Baron Scarpia. A ação se passa em 1800, quando a Itália era ameaçada pela invasão do exército de Napoleão Bonaparte.

“É uma das óperas mais cinematográficas de Puccini, uma obra intensa em todos os três atos”, declara o maestro Fernando Malheiro, que rege e dirige a ópera no Teatro Amazonas. “Tosca” será apresentada pela Amazonas Filarmônica, Coral do Amazonas e Coral Infantil do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro. O espetáculo tem duração de três horas.

“Diferentemente de ‘Maria Stuarda’, já apresentada no FAO e em que o canto e a beleza dos versos são mais valorizados que o drama, ‘Tosca’ é uma obra em que a voz é usada totalmente para fins dramáticos. É uma das óperas mais montadas no mundo todo e das mais geniais do repertório deste período, com ação intensa e uma música fantástica”, destaca o maestro.

Em três atos, a ópera é focada nos três personagens principais. Caravadossi e Tosca estão apaixonados, porém o pintor é simpatizante de Napoleão e é perseguido por Scarpia, que é obcecado pela cantora de ópera – criando assim o cenário para uma tragédia. “Os três personagens têm fins trágicos e a ópera é violenta, com cenas de assassinato e suspense. O trio tem uma força dramática muito grande, que envolve o público. Scarpia e Tosca são personagens únicos, que carregam bastante intensidade até o fim”, comenta Malheiro.

Elenco e produção

O elenco de Tosca conta com Daniella Carvalho (soprano), como Floria Tosca; Fernando Portari (tenor), como Mario Cavaradossi; Rodrigo Esteves (barítono), como Barão Scarpia; Wilken Silveira (tenor), como Spoletta; Pepes do Valle (baixo), como sacristão; Fred Oliveira (barítono), como Cesare Angelotti; Moisés Rodrigues (barítono), como Sciarrone; Roberto Paulo (baixo), como o carcereiro; e Davi Lucas, como pastor.

A direção cênica é do renomado diretor Jorge Takla, com cenários de Nicólas Boni, figurinos de Pablo Ramirez e desenho de luz por Fábio Retti.

Sobre o 22º FAO – Em 2019, o Festival Amazonas de Ópera celebra o centenário de nascimento de Claudio Santoro, com a apresentação da ópera “Alma”, do compositor e maestro amazonense. A programação conta com “Ernani”, de Giuseppe Verdi, já apresentado; “Maria Stuarda”, de Gaetano Donizetti; “Tosca”, de Giacomo Puccini; e “Mater Dolorosa”, baseada na cantata “Stabat Mater Dolorosa”, de Giovanni Pergolesi.

Os ingressos para o FAO 2019 estão disponíveis na bilheteria do Teatro Amazonas e por meio do site Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com/teatroamazonas), com valores que vão de R$ 2,50 a R$ 60.

(*) Com informações da Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas.