Teatro Amazonas será palco do espetáculo ‘Amazonas Jazz Day’

A cidade de Manaus entra nas comemorações do Dia Internacional do Jazz pela primeira vez, com o espetáculo “Amazonas Jazz Day”, no dia 30 de abril, no Teatro Amazonas. O evento está marcado para às 20h,com ingressos a partir de R$ 20.

Festejada em 190 países, a data foi criada pela Unesco, através do embaixador da boa vontade da Unesco e pianista Herbie Hancock, e pelo Instituto de Jazz Thelonious Monk para promoção da paz, criatividade, diálogo intercultural e na união dos povos de todos os cantos do globo.

A banda “Blues na Floresta” apresentará os grandes clássicos do gênero musical e pretende mesclar o jazz com a cultura regional e elementos da natureza. Além da banda, também sobem ao palco do Teatro Amazonas oito músicos convidados, entre eles Humberto Amorim e Leka Denz, que irão interpretar “Água de Beber”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, e “Cruviana”, que é uma música do compositor Neuber Uchôa, ícone da música roraimense e da cultura amazônica.

Para o baterista e percussionista idealizador do projeto em Manaus, Leonardo Pimentel, a ideia é colocar Manaus no mapa internacional desta data e fazer o evento evoluir todos os anos. “Faremos uma noite incrível de jazz, mesclando os estilos para que o público possa transcender este momento mágico com os artistas”, afirma Pimentel.

“Ao procurarmos o secretário de cultura Denilson Novo conseguimos o apoio para realizar o Amazonas Jazz Day, no Teatro Amazonas, chamando atenção dos organizadores internacionais”, afirma Régis Gontijo. O pianista e embaixador da boa vontade da Unesco, Herbie Hancock, diz: “O jazz é a música que expressa o melhor do espírito humano. Tem a ver com a ideia de compartilhar, não com a de competir”.

O baterista Tarcísio Braga sobe ao placo para interpretar “Mr PC”, da lenda John Coltrane, que foi composta em 1959, em homenagem ao baixista Paul Chambers, que acompanhou Coltrane por anos.

Banda Blues na Floresta

A banda é composta por Régis Gontijo, na guitarra, Leonardo Pimentel, na bateria e percussão, Ítalo Jimenez, no sax, Marcelo Figueiredo, no baixo e Alexandre Oliveira, no trombone. Criada em 1992 por Régis e Ítalo, a banda sempre apostou no blues e no jazz como base de suas apresentações e vem evoluindo ao logo dos anos.
Estarão no palco para interpretações exclusivamente ensaiadas do Amazonas Jazz Day, o músico Roger Vargas, no baixo acústico, Rosbon Silva, no piano, e Andrio Dias, no vibrafone e Ricardo Sá, no sax. Fechando a lista de convidados o trompetista Alex Diego tocará a música “All Blue”, de Miles Davis, do álbum clássico Kind of Blue, também de 1959.

O beiradão de Teixeira de Manaus estará presente no repertório com a música “Balanço do Norte”, interpretada por Roger Vargas, em uma versão “refinada”. Robson e Andrio levarão para o evento internacional, os elementos naturais da Amazônia, a música “Canto da Floresta”, do Raízes Caboclas, numa versão jazz-funk.
Para completar os elementos da natureza, o músico Ricardo Sá aposta numa performance inédita de uma canção indígena Ywitu Miri, dos índios Guarani, em que os guerreiros da tribo se reúnem na oca para buscar sua forçar interior. “A ideia é deixar muito elegante as interpretações. Apesar do jazz apostar na improvisação, estamos ensaiando bastante para encantar o público”, afirma Pimentel.
Os ingressos para o evento custam R$ 20 (3º pavimento), R$ 30 (2ª pavimento), R$ 40 (Plateia e Frisas) e já estão disponíveis, na bilheteria do Teatro Amazonas.

Fonte: Portal da Cultura