Técnica que salvou atleta do nado artístico: “Foram dois minutos sem respirar”

Anita Álvarez passa mal Mundial de Esportes Aquáticos reduzida — Foto: Oli SCARFF / AFP

Depois do susto, os risos. Técnica da seleção dos Estados Unidos, Andrea Fuentes foi a heroína desta quarta-feira, ao saltar na piscina do Mundial de Esportes Aquáticos em Budapeste, Hungria, e salvar a atleta Anita Álvarez do afogamento. Mais tarde, deu entrevistas e mostrou que o susto estava superado.

Álvarez, de 25 anos, havia concluído sua apresentação na final do solo livre do nado artístico, mas Fuentes notou algo errado na sequência. Entrou na água e retirou a pupila, que saiu de maca e foi levada ao centro médico da arena sob aplausos dos torcedores.

Foram dois minutos sem respirar e, com as pulsações a 180, você não quer estar dois minutos sem respirar. Teve um momento que me assustei de verdade e, agora, estamos rindo as duas juntas. Ela está muito bem. Tem que descansar. Amanhã [quinta], vai descansar o dia todo e estará muito bem para a final de equipes – afirmou a técnica à imprensa.

Falei “isso não é normal”. Gritei para os socorristas para que pulassem na água, mas não ouviam ou não entendiam. Fui o mais rápido possível, como se fosse uma final olímpica. Quando a tirei, não respirava e tinha a mandíbula muito contraída. Foi um desmaio por esforço. Vimos onde estava o limite – completou.

A atleta conseguiu concluir sua série e, por isso, recebeu 87.6333 pontos, que lhe renderam a sétima colocação. O ouro ficou com a japonesa Yukiko Inui (95.3667 pontos), que superou a ucraniana Marta Fiedina (93.8000). A grega Evangelia Platanioti completou o pódio (91.7667). O Brasil não participou da prova.

Anita Álvarez já tinha desmaiado numa competição. Foi ano passado, no pré-olímpico do nado artístico, em Barcelona. Após o episódio, a mãe da atleta afirmou que a filha tinha histórico de desmaios, mas que jamais tinha ocorrido num torneio.