Técnico em enfermagem acusado de estuprar pacientes com covid-19 continua na folha de pagamento do HPS João Lúcio

Foto: Divulgação

Conforme o Radar Amazônico apurou com exclusividade, o técnico em enfermagem, John Euder Lima Gomes, de 26 anos, acusado de estuprar e dopar pacientes com covid-19 dentro da Unidade de Pronto Atendimento do Campos Sales, na Zona Oeste da capital, continua na folha de pagamento do Governo do Amazonas. Agora, três meses após o caso vir à tona, ele está trabalhando no Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na zona Leste de Manaus. Uma fonte anônima entrou em contato com a reportagem e denunciou que o suspeito também presta serviço em outro grande hospital da rede pública do Estado: o HPS 28 de Agosto, na zona Centro-Sul.

John foi preso em junho deste ano após uma vítima registrar queixa contra ele no 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Na época, o técnico atuava na UPA do Campos Sales, no bairro Tarumã. No local, ele abusou de pelo menos duas vítimas.

De acordo com informações da delegada Kelene Passos, do 20º DIP, uma vítima relatou que estava com os sintomas de covid-19 e, por isso, procurou a unidade de saúde. Durante o atendimento, ela foi levada para uma sala para fazer exames, onde foi dopada e estuprada por John.

Essa não foi a primeira vez que o técnico foi denunciado por se “aproveitar” de pacientes na unidade. Em novembro de 2020, uma outra mulher também registrou um Boletim de Ocorrência contra ele. Ela relatou que durante o atendimento, John abriu a roupa dela, enfiou o dedo em seu órgão genital e só parou quando a paciente, mesmo debilitada por conta das medicações, ameaçou gritar e chamar a polícia.

Em depoimento, o acusado ainda tentou jogar a culpa nas vítimas, alegando que teve permissão delas para praticar os atos.

Como clássico de todo homem estuprador, ele tentou jogar a culpa na vítima alegando que tinha um caso com a paciente. Mas questionando o médico e a vítima, toda essa versão caiu por terra.“, finalizou a delegada.

A reportagem entrou em contato com a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) para saber como está a investigação sobre o caso. Em nota, a assessoria da PC informou que John Euder Lima está respondendo em liberdade.

“O delegado Rodrigo Barreto, titular da 4ª Seccional Oeste, que está respondendo pelo 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP), informa que o homem está respondendo pelo crime de estupro de vulnerável em liberdade. Conforme o titular, até o momento, não foram realizadas novas denúncias e o Inquérito Policial (IP) foi concluído e encaminhado à Justiça.”, diz trecho da resposta.

Continua recebendo do Estado

Conforme o Portal da Transparência do Amazonas, o técnico continua na folha de pagamento do Hospital João Lúcio, que é administrado pela Secretaria de Saúde do Estado (SES), onde aparece como servidor temporário com salário bruto de R$ 1.736,25. Questionada sobre a permanência do acusado no quadro efetivo do Hospital João Lúcio, o órgão não se manifestou até a publicação desta matéria.

Medo

Conforme a denunciante que procurou a reportagem, John Gomes continua atendendo pacientes nas unidades de saúde onde presta serviço e as mulheres que frequentam a unidade temem serem as próximas vítimas dele.

“Ele saiu há pouco tempo [da cadeia] e está trabalhando normalmente no Hospital 28 de Agosto. Estamos muito tristes, revoltados e com medo. Estou tentando entrar em contato com o hospital para pedir uma posição sobre isso, mas você sabe… Ninguém quer se meter!”, declarou a denunciante.

A reportagem entrou em contato com a unidade de saúde para saber se ele continua atendendo pacientes no local. O Departamento de Pessoal do hospital informou, por meio de ligação, que ele possivelmente faz parte de uma cooperativa e que somente ela poderia confirmar a informação.

O Radar também procurou o Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren-AM) para saber se o registro dele continua ativo. A assessoria do conselho informou que abriu um processo ético contra o técnico e que ainda está em andamento.