Tem até maniaco!

Essa é daquelas pra gente pedir: “para o mundo que eu quero descer”. O vereador Junior Ribeiro em discurso da tribuna da Câmara Municipal de Manaus: “O bairro do Mauazinho tá tão famoso que tem até maniaco”. Quem quer uma fama dessas, pelo amoooor de Deeeeeeus?

Maníaco certo

E, quando se pensava que a coisa não podia ficar pior, o vereador soltou mais essa: “Já fizeram até duas prisões, mas não era o maníaco certo. Maníaco certo? Hoje, o dá um tempo, não vai ser como de costume pro Carvalho da SMTU. Lembram, né (Dá um tempo, Carvalho!)? Hoje, vai ser: “Dá um tempo, Ribeiro!”

Origem do maníaco

Mas, vocês pensam que ele parou por aí? Nam,nam,nim,nam,não! O nobre edil se mostrou preocupado com a origem do maniaco e nessa profunda discussão filosófica ainda soltou mais essa “pérola”: Ele talvez nem seja do Mauazinho, ele só táva passando por lá”. Depois dessa, só resta dizer: Hei! Carvalho, pede pro Junior dá um tempo!”.

Como se conjuga esse verbo?

E esse maniaco tá implantando o terror, mesmooooo! Segundo o vereador, ele (es)tá “apavorizando” as mulheres. Verbo novo é? Como é pra conjugar? Eu apavorizo, tu apavorizas, ele apavoriza…

Pede pra sair!

Realmente, não há como negar, o vereador-presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Bosco Saraiva (PSDB), administra aquela Casa Legislativa com “mão de ferro”. Na escolha dos vereadores que compõem a Comissão de Revisão do Plano Diretor Urbano e Ambiental de Manaus, ele foi logo avisando: “Usarei das prerrogativas que o Regimento Interno me concede para substituir qualquer parlamentar que não atuar de forma satisfatória”. Mas, que forma satisfatória é essa mesmo? Quais os critérios de avaliação pra satisfazer o presidente?

Eu tenho orgulho

Na votação da Comissão de Assuntos Econômicos (CAS) do Senado Federal, para tratar da questão das alíquotas de ICMS, não dá pra não dizer que foi algo impressionante ver a estreita relação de determinados senadores com Eduardo Braga. Antes de manifestarem seus posicionamentos, houve senador dizendo em alto e bom som: “Um momentinho só, deixa eu falar com Eduardo”. E aí me veio a mente até aquela jingle do governo Braga: “Eu tenho orgulho de ser amazonense”. E olha que ele é paraense, mas agiu como um digno (e verdadeiro) filho dessa terra!

E mais um filho ilustre

Nem precisava de título de cidadão do Amazonas para o deputado federal Francisco Praciano . Mas, a iniciativa do deputado estadual José Ricardo Wendlig  é pra ser aplaudida de pé. O “Praça”, como é conhecido e chamado carinhosamente Francisco Praciano, veio lá do Ceará, se eu não me engano é de uma cidadezinha do sertão chamada Itapipoca – se eu errei o nome sei que o Praça me perdoa e ainda vai fazer piada disso. Mas, Praça não precisa ser filho do Amazonas por certidão, ele é filho dessa terra no coração, por tudo que já fez nesses 40 anos que está por aqui, por sua ética, dignidade e demonstrações de respeito pelo Amazonas. Parabéns, Praça!