Tem uma pedra (fundamental) no meio do caminho….em Manacapuru

Desde 2013, que o povo de Manacapuru vê a dupla Omar Aziz e José Melo fazer e refazer um tal de “lançamento de pedra fundamental” de um hospital. O primeiro que fez a lambança foi Omar Aziz, então governador e já de olho no cargo de senador. Segundo ele, o hospital teria uma superestrutura, com 100 leitos e um investimento de R$ 20 milhões. A maquete do hospital era uma belezura de encher os olhos do povo da cidade.

E com aquele estardalhaço comum aos que fazem política-eleitoral com tudo que é coisa, até com a saúde alheia, lá surgiu o tal lançamento da pedra fundamental, com direito a centenas de xerimbabos, batendo palmas e soltando fogos de artifício. Mas, cadê o hospital? Nadica de nada! Do hospital, restou a pedra, e o cargo de senador para Omar Aziz!

E depois de Omar, veio seu candidato ao governo, José Melo, fazer lançamento de pedra (fundamental) para o povo de Manacapuru ver. Dessa vez, o hospital ia sair com ele reeleito governador. Melo ganhou mais um mandato e Manacapuru não viu nem o alicerce do hospital. O terreno virou lama, a pedra fundamental virou pedregulho e até a promessa virou pó.

Mas, na semana, passada, o agora governador cassado, professor José Melo, apareceu de novo por lá – sabe como é, né gente, o Mestre dos Magos, some e aparece. Se a pedra (fundamental) apareceu, não se sabe, mas ele anunciou pela terceira vez a construção do hospital – parafraseando a deputada Alessandra Campêlo, com a terceira mentira, já dá pra pedir música.

E na “versão” de Melo, o hospital que iria ser uma referência no atendimento dos moradores de Manacapuru e dos municípios vizinhos, ficou igualzinho uma unidade básica de saúde. A explicação do governador para tantas mudanças no projeto do hospital é, mais uma vez, a crise econômica, a “ladainha” que ele repete sempre que quer dar uma explicação para os péssimos serviços públicos – mas com os empreiteiros seus apaniguados ele não faz essa ladainha de jeito nenhum.

E depois de Melo e Omar colocarem uma pedra no meio do caminho do povo de Manacapuru, agora é esperar pra ver se a pedra não se transforma num monstrengo que vai custar milhões aos cofres públicos. (Any Margareth)

Fotos: Site Repórter