Thiago Lacerda diz que Ana Paula Arósio recusou atuar com ele no teatro

Casal romântico de “Terra Nostra” (Globo, 1999), que estreia nesta quinta-feira (28) no Viva, Tiago Lacerda, 41, e Ana Paula Arósio, 43, perderam o contato desde que a atriz deixou a TV e resolveu viver em reclusão há quase dez anos.

No fim do ano passado, no entanto, o ator tentou uma reaproximação. O objetivo era convidá-la para um novo projeto dele no teatro. Seria também uma forma de celebrar os 20 anos da parceria com a atriz. Para tristeza dos fãs de Arósio, que até hoje não se conformam com a sua escolha de viver longe da fama, ela recusou o convite.

“Cheguei a procurar a Ana para fazer esse convite, para que ela viesse comigo na jornada desse meu projeto de teatro e também com esse argumento: porra, Ana, ano que vem [2019] são 20 anos [de ‘Terra Nostra’], vamos estar juntos para comemorar, dar risada, entrar em cena juntos”, disse o ator.

Se o projeto de teatro não deu, pelo menos o público poderá matar a saudade do casal da ficção na reapresentação de “Terra Nostra” às 14h30 (com reprise à 0h45), no Viva. Na trama de Benedito Ruy Barbosa, a atriz faz a imigrante italiana Giuliana, apaixonada por Matteo, papel de Lacerda.

Lacerda nem chegou a conseguir contato direto com ela, e acabou falando com uma pessoa próxima à atriz. “Essa pessoa disse que falou e tudo, mas não sei bem como isso chegou para a Ana. A verdade é que eu nunca mais falei com ela. Não sei como ela está, não sei por onde ela anda. Lamento muito, porque seria maravilhoso lutar por um projeto novo ao lado dela, 20 anos depois.”

O ator disse também que a atriz foi uma grande parceira e que respeita as suas decisões. “Tenho muita saudade e admiro profundamente quem ela é. Acho a Ana uma colega deslumbrante, magnífica.”

Modelo já conhecida em comerciais e capas de revista, a atriz estourou na TV na minissérie “Hilda Furacão” (1998). Na época, a Globo teve de fazer uma grande negociação com o SBT para tê-la como protagonista da atração.

Quando gravou “Hilda”, entre novembro de 1997 e fevereiro de 1998, Arósio, na verdade, ainda mantinha contrato com o SBT, que emprestou a atriz à Globo. Foi o primeiro empréstimo na história da televisão brasileira. Como contrapartida, a atriz teve de fazer oito teleteatros no SBT.

A minissérie foi um grande sucesso. Um ano depois, Arósio foi chamada pela Globo para ser a protagonista da “novela do século”, como era conhecida nos bastidores da emissora “Terra Nostra”. Lacerda, que também tinha tido destaque em “Hilda Furacão”, mas não como par de Arósio, foi escolhido para ser o protagonista Matteo.

Em entrevista ao F5, da Folha de S.Paulo, o ator contou que pediu para entrar na trama, mas nem sonhava em ser o mocinho. “Quando peguei o papel, pensei: ‘Vou meter a cara e não vou deixar essa oportunidade passar’. Eu lembro da sensação de saber que a novela ia mudar a minha vida e de que eu precisava trabalhar muito para dar conta.”

Com uma produção grandiosa, “Terra Nostra” teve um grande sucesso inicialmente. Depois, a trama acabou ficando arrastada, mas, ainda assim, conseguiu segurar a audiência da Globo.

RECLUSÃO

Arósio fez vários outros trabalhos na emissora carioca, como as minisséries “Os Maias” (2001) e “Mad Maria”(2005), e as novelas “Esperança” (2002) e “Páginas da Vida” (2006). Em 2010, pouco antes de começarem as gravações de “Insensato Coração”, em que ela seria a protagonista, a atriz quebrou o contrato com a Globo e se isolou.

Inicialmente, ela foi morar em sua fazenda nos arredores de Santa Rita do Passa Quatro (SP). Mais tarde, a atriz se mudou para Londres, onde estaria morando até hoje com o marido, o cavaleiro Henrique Plombon.

No fim de 2015, a atriz apareceu publicamente para divulgar o filme “A Floresta que se Move”, sua primeira gravação desde que deixou as novelas para trás. Depois, voltou ao isolamento.