‘Ticket alimentação dos policiais é uma miséria e ainda atrasa’, dispara Alessandra Campêlo

Alessandra Campêlo 09 capa

A falta de pagamento do ticket alimentação dos policiais civis novamente voltou à pauta da Assembleia Legislativa do Amazonas. Durante o pequeno expediente desta quarta-feira, 9 de março, a deputada estadual Alessandra Campêlo (PCdoB), denunciou que servidores, terceirizados e estagiários da instituição estão novamente sem o pagamento do benefício.

“Os policiais estão com ticket alimentação atrasado, essa miséria no valor de R$ 220, que o policial sai na rua atrás de bandido com risco de pegar um tiro e não voltar para sua casa. Isso dá menos de R$ 10 por dia se contarmos apenas os dias úteis, e ainda atrasa. Isso não tem uma explicação plausível”, disparou Alessandra, acrescentando que o Amazonas passa por um momento de “desgoverno”.

O sofrimento da categoria, porém, vai além do ticket alimentação. A pauta de reivindicações dos policiais civis começa pelo cumprimento data-base, pois já vai para o segundo ano sem correção salarial.

“O problema é bem maior, pois várias delegacias estão com telefones cortados. O policial, investigador, delegado ou escrivão não tem como fazer uma ligação para tentar resolver algum problema ou pegar alguma informação”, afirmou a vice-líder da oposição na Casa.