TJ mantém preso enfermeiro acusado de estuprar 14 mulheres

Enfermeiro Ronaldo Augusto Ferreira de SouzaA Segunda Câmara do Tribunal de Justiça do Amazonas, por unanimidade de votos dos dfesembargadores da Câmara Criminal, decidiram que o enfermeiro Ronaldo Augusto Ferreira de Souza, 42 anos, continuará preso preventivamente até o julgamento do caso.

O enfermeiro é acusado de abusar de várias Pacientes dentro da UBS Lourenço Borghi, localizada no Bairro do Jappim, Zona Sul de Manaus, enquanto realizava consultas ginecológicas e exames Médicos.

Ronaldo Augusto nega o crime, mais as vítimas que foram ouvidas no 3º Distrito Integrado de Policia foram contundentes em afirmar que o enfermeiro abusava das pacientes durante a consulta, que as sedava, e que trancava a porta do consultório médico para que as vítimas não pudessem sair. Uma das vítimas, que é menor de idade, que prestou depoimento ao lado de sua mãe, afirmou que o enfermeiro  a sedou, e que a estuprou.

A mãe da garota, que também foi ouvida, disse que não Ronaldo não a deixou entrar na sala, para acompanhar a consulta, e que quando a sua filha saiu da sala, estava aparentando estar dopada, e com sinais no corpo, que demonstravam haver sofrido violência sexual. O enfermeiro foi preso no dia 14 de Janeiro de 2014, na UBS Lourenço Borghi, por ordem do juiz de Direito da 10ª Vara Criminal, Genesino Braga Neto.

Para o investigador Geraldo Filho, que participou ativamente da investigação e prisão do enfermeiro, a decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) em manter o enfermeiro preso, demonstra eficiência no trabalho da polícia civil do Amazonas, que “em nenhum momento cedeu a pressões de familiares e amigos do enfermeiro, que afirmavam que ele era inocente e que tudo não passava de uma grande farsa das vítimas supostamente estupradas por ele”.

ACORDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO AMAZONAS

Investigador dando voz de prisão ao enfermeiro