TJAM realiza evento em comemoração aos seus 130 anos de existência (ver vídeo)

Foto: divulgação

Em comemoração aos 130 anos de existência, completados no último dia 4 de julho, o Tribunal de Justiça do Amazonas realizará nesta quinta-feira (8) uma celebração virtual. A solenidade será transmitida pelo canal do TJAM no Youtube. A Direção da Corte, formada pelo desembargador Domingos Chalub (presidente) e pelas desembargadoras Carla Reis (vice-presente) e Nélia Caminha Jorge (corregedora-geral de Justiça), também apresentará um balanço do primeiro ano de trabalho da gestão, iniciada em julho de 2020, bem como os principais resultados do Poder Judiciário amazonense no período.

A desembargadora Graça Figueiredo, a segunda mulher a assumir a Presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (biênio 2014-2016), foi escolhida para discursar, em nome da Corte, sobre o aniversário dos 130 do Judiciário no Amazonas e o papel da Justiça na vida do cidadão que vive nos 62 municípios do Estado. Haverá, ainda, um vídeo institucional que contará um pouco dessa trajetória.

No mesmo evento será promovida uma homenagem, também em vídeo, a todos os servidores e magistrados do TJAM que faleceram desde o início da pandemia de covid-19 no Estado, e a apresentação do projeto Memória, que tem o objetivo de resgatar, através de relatos e depoimentos de magistrados e servidores aposentados da Corte um pouco da história e experiência vivida por eles nas unidades jurisdicionais do TJAM, tanto na capital, quanto no interior. Todos os relatos, gravados em vídeo, serão disponibilizados, separadamente, no canal do TJAM, no Youtube, às quintas-feiras, a partir das 14h. Nesta primeira fase do projeto, foram entrevistados os desembargadores aposentados Marinildes Costeira de Mendonça, Hosannah Florêncio de Menezes, Manuel Neuzimar Pinheiro e Luiz Wilson Barroso, além das servidoras aposentadas Helena Vitória da Silva Cruz Gadelha e Ecyr Socorro Alcântara Dias.

O primeiro vídeo do projeto, idealizado pelos profissionais do Arquivo do TJAM e desenvolvido em parceria com o setor de Divulgação e Imprensa da Corte, será publicado já nesta quinta-feira, dia 8. O magistrado que contará a sua experiência no TJAM será a desembargadora Marinildes Costeira de Mendonça, primeira mulher a assumir a Presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas.

História

O dia 4 de julho de 1981 é a data em que foi instalado o Superior Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas. O nascimento do Judiciário amazonense também está ligado à promulgação da Carta Política, outorgada com o advento do sistema republicano que transformou o País em estado federativo, conferindo aos estados-membros a competência para administrar a Justiça.

Palácio da Justiça

O Poder Judiciário no Amazonas foi fortalecido com a construção do Palácio da Justiça, inaugurado em 1900. O imponente edifício de dois andares, no Centro da capital, permanece sendo ícone da arquitetura e da história da Justiça no Estado.

Destaque

O Tribunal de Justiça do Amazonas continua se destacando nos dias de hoje. Em relação às Metas Nacionais do Poder Judiciário, a Corte ficou acima da “média Brasil” do Judiciário no ano de 2020, conforme relatório elaborado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Um resultado considerado extremamente positivo pela Direção da Corte, uma vez que os dados foram registrados em um ano de pandemia da covid-19, que gerou graves consequências no planeta, sendo o Amazonas um dos Estados mais afetados pela doença no Brasil.

O corpo diretivo do Tribunal enfatizou todo o esforço feito por magistrados e servidores no ano passado para que o TJAM não parasse a prestação dos serviços jurisdicionais, tanto na capital quanto no interior. Reiterou, ainda, que esses resultados representam um marco na história do Tribunal pela sua importância em um momento ímpar vivido no enfrentamento de uma doença que trouxe mudanças e exigiu adaptações em todos os níveis. O TJAM vem promovendo diversos investimentos em Tecnologia da Informação, há vários anos, o que permitiu a realização do trabalho remoto e, por consequência, o cumprimento das medidas de prevenção à covid-19 junto aos seus públicos interno e externo.

Confira o posicionamento do desembargador Domingos Chalub sobre o evento na íntegra: 

(*) Informações da assessoria