Torcedores do Palmeiras protestam após empate com Atlético-MG

Um grupo de cerca de 40 torcedores do Palmeiras fez um protesto na porta do estádio do clube após o empate por 1 a 1, com o Atlético-MG, neste domingo, no Allianz Parque, em São Paulo. Os principais alvos dos manifestantes foram o presidente Mauricio Galiotte e o diretor de futebol Alexandre Mattos.

Os jogadores também não foram poupados das críticas e o time do Palmeiras foi chamado de “pipoqueiro”. Dentro do estádio, os protestos começaram ainda com a bola rolando durante confronto válido pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A derrota parcial e o mau futebol apresentando em campo inflamaram a torcida e os ânimos entre os palmeirenses. O zagueiro Antônio Carlos se irritou com as críticas e, do banco de reservas, bateu boca com torcedores, que precisaram ser contidos pela Polícia Militar. O atacante Deyverson, que também estava no banco, foi outro a se irritar com as vaias.

O empate por 1 a 1 com o Atlético fez o time alviverde, atual vice-líder do Brasileirão, ficar a cinco pontos do Flamengo, o primeiro colocado. Na próxima quarta-feira, a equipe alviverde enfrenta o Santos, na Vila Belmiro, onde os donos da casa terão a chance de igualar a pontuação dos palmeirenses na competição.