Tormento em 2018, defesa do Vasco se ajeita e vira menos vazada do Carioca

Reprodução

Foram 91 gols sofridos em 67 jogos. Uma média de 1,36 por partida. Definitivamente, o sistema defensivo foi um tormento para o Vasco em 2018. Porém, pelo menos neste início de ano, a situação mudou para alívio do torcedor cruzmaltino.

Em quatro jogos até aqui, sofreu apenas dois tentos, o que dá à equipe a condição de menos vazada do Campeonato Carioca de 2019. A única vez em que o time saiu de campo tendo sofrido gols foi na goleada por 5 a 2 sobre o Volta Redonda, na terceira rodada da Taça Guanabara.

Comparando-se o sistema defensivo do ano passado com o de agora, a dupla de zaga titular é a mesma que terminou 2018, com Leandro Castan e Werley, embora tenha ocorrido um rodízio neste início de temporada e, nos últimos dois jogos, Luiz Gustavo e Ricardo Graça tenham formado o setor.

As laterais tiveram as mudanças mais significativas, com as chegadas de Raúl Cáceres e Cláudio Winck, na direita, e Danilo Barcelos, na esquerda.
Entre os volantes, Lucas Mineiro surgiu bem e virou um postulante à titularidade em meio a outros jogadores que já estavam no setor desde o ano passado.

Para Alberto Valentim, o momento ainda é o de priorizar a questão física em conjunto com a fisiologia do clube. “Dentro das minhas avaliações, principalmente no começo do campeonato, procuro levar o que tenho de melhor na parte física. No dia a dia fazemos com que todos procurem treinar o que queremos”, declarou.

Já classificado para as semifinais da Taça Guanabara, o Vasco enfrenta o Fluminense neste sábado (2), no estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), para fechar a fase de grupos.