Torrinho lança clipe de ‘Porto de Lenha’ com participação do grupo Subversos

O jornalista, publicitário e compositor Zeca Torres, mais conhecido como Torrinho, lançou nessa quarta-feira (17) o clipe de “Porto de Lenha”, composta nos anos 70, em parceria do escritor e jornalista Aldísio Filgueiras. A música foi gravada por Torrinho em vinil em 1991, em seu primeiro álbum solo e, agora, após 30 anos, a canção ganha clipe, com o grupo carioca Subversos e novo arranjo focado em vocais.

O trabalho – que foi contemplado no Prêmio Feliciano Lana, promovido pelo Governo do Amazonas, por meio da Lei Aldir Blanc – está disponível no Youtube através do canal Porto de Lenha Produções www.youtube.com/c/portodelenhaproducoes, e o áudio será disponibilizado em todas as plataformas de músicas como Spotify, Deezer etc.

A música 

A canção trata-se de uma crítica, pois quase todo o centro histórico de Manaus, inclusive seu porto flutuante sobre o Rio Negro, foi construído pelos ingleses no final do século 19, o período áureo da borracha, daí a frase: o índio e o caboclo jamais terão cara sardenta e olhos azuis apesar das influencias inglesas.

“Porto de Lenha é uma canção datada, que compus nos anos 70, quando muitos turistas ainda aportavam de seus cruzeiros em navios na capital em busca de gastar seus Cruzeiros ($) em quinquilharias importadas no porto livre da Zona Franca. Apesar de antiga, ainda hoje é muito cantada, inclusive por jovens que nem eram nascidos quando foi composta. É considerada uma espécie de ‘hino informal’ de Manaus”, destaca Torrinho.

A música foi cantada por diversos artistas do Amazonas e outros estados como Márcia Siqueira, Karine Aguiar, David Assayag, Raízes Caboclas, Zezinho Côrrea, Cláudio Nucci, Boca Livre, Nilson Chaves dentre outros e também em diversos ritmos como jazz, rock e sertanejo.

“Porto de Lenha para mim é uma canção extremamente importante para nossa região amazônica com uma mensagem genial. Primeira vez que ouvi em Manaus foi com o grupo Raízes Caboclas e posteriormente com o Zeca Torres, foi extremamente emocionante ver o público todo cantando junto. É uma música linda, letra maravilhosa e é sempre muito legal poder ouvir essa canção” diz o compositor paraense Nilson Chaves.

“Porto de lenha se tornou um hino de resistência cultural, um chamado para a valorização do que é nosso! Não precisamos ser Liverpool, precisamos ser o que somos”, disse a cantora amazonense Márcia Siqueira.

O clipe 

Torrinho e o grupo carioca Subversos gravaram clipe de “Porto de Lenha” com arranjos do compositor e arranjador Paulo Malagutti Pauleira que também fez o piano e os músicos Alex Rocha (contrabaixo), Diego Zangado (bateria).

Justamente com a nova gravação da canção veio à jovialidade do Subversos que é um grupo vocal com uma proposta artística diferenciada e inovadora que une música brasileira, percussão corporal, improvisação e outras formas inusitadas de se fazer música. Seu som é formado por dez vozes entre femininas e masculinas, utilizando a percussão corporal.

A gravação do clipe teve a direção e roteiro de Rodrigo Séllos e produção de Ana Priscilla Santos.

(*) Com informações do Portal da Cultura