Trabalhadores da saúde realizam manifestação para cobrar salários atrasados

Um grupo com cerca de 50 trabalhadores do setor da Saúde foi à rua e realizou manifestação, na manhã desta terça-feira (10), em frente ao Hospital 28 de Agosto, localizado na avenida Mário Ypiranga, bairro Adrianopólis. Os trabalhadores protestaram contra atrasos nos pagamento e assédio moral. A manifestação ocorre seis meses depois do Governo Wilson Lima ter aprovado uma mordida de R$ 350 milhões de recursos do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Estado do Amazonas (FTI),justamente para “socorrer” a área de Saúde do Amazonas.

De acordo com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sindiprev), Graciete Mouzinho, os empregados estão há quatro meses trabalhando sem receber salário. “Estamos com um atraso de pagamento há quatro meses, outros há seis meses. E aqui no 28 de Agosto os maqueiros também estão sem receber há cinco meses”, disse Graciete.

Os trabalhadores do setor da Saúde ainda relatam que sofrem assédio moral dentro do ambiente de trabalho. “Nós reivindicamos também o fato do trabalhador ser assediado moralmente dentro dos hospitais, simplesmente queremos nosso direito. A Lei não pode nos desamparar”.

Segundo Graciete, os funcionários foram intimidados. Caso realizassem de fato a manifestação, foram informados de que receberiam advertência ou seriam encaminhados para o RH.

Os manifestantes aguardam uma posição da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) para deliberar se vão continuar ou não a paralisação em frente ao Hospital 28 de Agosto.

Resposta

Procurada, a Susam informou por meio de nota, que o pagamento às empresas terceirizadas Nurses – Serviços de Saúde da Amazônia, Segeam e CC Batista será realizado ainda nesta semana. Além disso, conforme a Susam, os salários e obrigações trabalhistas de funcionários terceirizados são de responsabilidade da empresa que os contratou.