Trabalhadores do Campo do Azulão, em Silves, alegam falta de condições para exercer função

Foto: Divulgação

Dezenas de profissionais da construção civil e montagem que estão trabalhando na obra de construção do primeiro campo para exploração de gás natural na bacia do rio Amazonas, estão denunciando a empresa contratante alegando falta de condições básicas de trabalho. Os serviços de exploração acontecem no Campo do Azulão, que fica localizado entre os municípios de Silves e Itapiranga (distantes 203 e 225 quilômetros de Manaus, respectivamente).

A denúncia foi feita por meio do vereador Sassá da Construção Civil (PT), em publicação em suas redes sociais. No vídeo, o vereador, junto com os trabalhadores, conta que a empresa privada Potencial, que presta serviço para o Governo do Estado, não está cumprindo com direitos trabalhistas dos funcionários, como salários, cestas básicas e horas extras.

Um dos trabalhadores, que preferiu não se identificar, relata que até comida vencida, sem condições para o consumo, são servidas aos funcionários que pedem soluções da empresa responsável e um salário mais digno. “Estão servindo comida estragada, já tiramos fotos, não temos alojamento adequado, não temos transporte e nosso salário está defasado”, alegou um dos trabalhadores.