Trabalhadores em educação no Amazonas preparam primeira paralisação que será feita com professor Melo como governador

paralisação-professores 2Com a denominação de “Aula de Reforço”, numa analogia ao fato de que é mais uma manifestação semelhante a que foi realizada no dia 18 de março quando o ato público fez parte de uma agenda nacional da categoria pra reivindicar melhoria na qualidade de ensino e valorização profissional, os membros do Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadores em Educação no Amazonas (Movtte) já começaram uma grande mobilização para que esses profissionais paralisem atividades escolares e voltem às ruas no dia 30 de abril.

O ato público será o primeiro a ser realizado na administração do professor Melo como governador do Estado e ele enfrentará o primeiro ato de repúdio da categoria para uma decisão sua como Chefe do Executivo estadual. A categoria pretende manifestar publicamente sua insatisfação quanto ao projeto do governador que retira R$ 9,4 milhões das verbas destinadas à valorização do professor e fortalecimento da gestão escolar realocando para o setor administrativo, para pagamentos como água, luz e telefones.

Na pauta de reivindicações estão: reajuste salarial de 20% para a categoria Semed/Seduc, cumprimento da HTP (Hora de Trabalho Pedagógico), aprovação da minuta do PCCS Semed, repúdio ao assédio moral nas escolas, processo seletivo para gestores (não apadrinhamento político), e repasse dos futuros saldos provenientes do Fundeb, de forma paritária, aos profissionais do magistério, como abono salarial, entre outras.