Trabalho escravo é flagrado em prestadora de serviços da Renner

rennerEsta semana, 37 trabalhadores bolivianos foram resgatados de condições análogas à escravidão. O flagrante aconteceu em uma oficina de costura prestadora de serviço das Lojas Renner, localizada na zona norte da capital paulista. A informação é da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em São Paulo.

Alojados em condições degradantes, as vítimas estavam submetidas a diversas irregularidades trabalhistas, como jornada de trabalho excessiva e exaustiva, retenção e desconto indevido de salário, servidão por dívidas. Além disso, sofriam violência psicológica, verbal e física, entre outras irregularidades.

A operação foi realizada em conjunto com o MPT (Ministério Público do Trabalho), a DPU (Defensoria Pública da União), com o apoio do Tribunal Regional do Trabalho. Os auditores fiscais do Trabalho lavraram ao todo 30 autos de infração e emitiram de 37 requerimentos de seguro desemprego.

A ação possibilitou ainda o pagamento de R$ 875,8 mil em verbas rescisórias aos trabalhadores que ainda tiveram a garantia de contratação diretamente pelas indústrias de confecção fornecedores da empresa autuada (as Lojas Renner) com garantia de estabilidade de seis meses mediante acordo firmado pela loja com o MPT e DPU.