TRE dá um ponto final na perseguição de Joseias Lopes, mantendo registro de candidatura de Adenilson Reis

O prefeito eleito do município de Nova Olinda do Norte, Adenilson Reis (PMDB), já pode enfim administrar a cidade em paz, livrando-se das perseguições do ex-prefeito Joseias Lopes (PROS), derrotado nas urnas, que estava tentando ganhar um mandato no “tapetão”. O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas pôs um ponto final na pendenga jurídica e confirmou, nessa terça-feira(18), o registro de candidatura do prefeito eleito de Nova Olinda do Norte, Adenilson Reis (PMDB), pelo placar de 4 votos a favor e 2 votos contra.

O relator do processo foi o juiz Abraham Campos Peixoto, que votou pelo indeferimento do registro de Adenilson Reis e foi acompanhado por Henrique Veiga, mas a juíza federal Marília Gurgel, o desembargador João Simões, e os juristas Felipe Thury e Francisco Marques votaram pela liberação do registro do prefeito mantendo a decisão da juíza de Nova Olinda do Norte, Suzy Irlanda Araújo Granja.

Todos os intentos de Joseias Lopes de cassar o registro de candidatura e, consequentemente, o mandato de Adenilson Reis conquistado nas urnas, baseava-se em reprovação de contas feitas pela Câmara Municipal daquela cidade, mas precisamente por vereadores aliados dele (Joseias), mesmo com essas mesmas contas tendo sido aprovadas pelos órgãos de controle externo da administração pública, como o TCE e o TCU.

Os vereadores que reprovaram as contas do prefeito eleito foram os mesmos beneficiados com terras do município, com o aval do então prefeito Joseias Lopes. A juíza da cidade, Suzy Irlanda, também já se manifestou desfazendo atos do prefeito que beneficiaram os vereadores com terras do patrimônio público.

O prefeito eleito, Adenilson Reis, comemorou nas redes sociais: “Ficha Limpa, sempre! TRE confirma meu registro de candidatura mantendo decisão da juíza local. Só tenho a agradecer aos amigos pelas orações e ao meu bom Jesus por me proteger. Agora, finalmente vamos trabalhar sem esta preocupação, pois as perseguições caíram por terra”, escreveu o prefeito, após a decisão. (Any Margareth)