Treinador de futebol infantil é preso em flagrante acusado de abusar sexualmente de meninos

pedofilo

Policiais Civis da equipe “Massaranduba”, lotados no 18º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o comando do Delegado Titular, Alexandre Moraes, realizaram a prisão em flagrante na manhã de hoje (18), por volta das 9h da manhã de hoje (18), do treinador de futebol infantil Marlon Saviano Pereira dos Santos, 39, por aliciar e se envolver com crianças e adolescentes do sexo masculino.

A equipe “Massaranduba”, que teve apoio dos policiais civis da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), e de peritos criminais do Instituto de Criminalística (IC), foram até a casa de Marlon, localizada na rua Rio Javari, bairro Rio Piorini, Zona Norte, para cumprirem um mandado de busca e apreensão, expedido no dia 28 de maio de 2014, pela  juíza Patrícia Chacon, da Vara Especializada de Crime Contra o Idoso, Criança e o Adolescente, em desfavor de Marlon.

Ao chegarem à residência no bairro Rio Piorini com o mandado de busca, os policiais entraram no local e começaram a revistar os cômodos da casa. No quarto de Marlon, encontraram salvos na memória do computador, celular e pen drive dele, vídeos das crianças e adolescentes em situação erótica e um deles com Marlon molestando uma das vítimas.  Os policiais civis da equipe Massaranduba deram voz de prisão ao flagranteado, encaminhando-o à delegacia especializada.

As investigações iniciaram seis meses atrás, quando o 18º DIP e a DEPCA receberam denúncias anônimas de que Marlon molestava crianças e adolescentes do sexo masculino. “Segundo as investigações, ele prometia aos adolescentes que eles poderiam jogar no time de futsal coordenado por Marlon apenas se eles se relacionassem sexualmente com o mesmo. Iremos investigar e identificar todas as crianças e adolescentes presentes no vídeo.”, ressaltou o Delegado Titular Rafael Allemand, da DEPCA, responsável pelo flagrante.

Marlon foi conduzido a DEPCA e autuado pelo crime de pedofilia virtual (artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente).