Tríade dos Câmara faz “culto” político-eleitoral com pastores e pastoras da IEADAM – incluindo secretárias de Melo (ver vídeo)

foto-pastores

Por não estarem num “templo físico”, ou seja, numa edificação de cimento e tijolo chamada de igreja, não torna a situação menos pior. Afinal muitas edificações que servem de igreja são locais alugados para tal. E, segundo a Bíblia, o Templo de Deus vai muito além das paredes de uma igreja, não é mesmo? Ele está em todo lugar e até dentro de cada um de nós. “Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou no meio deles” (Mateus 18:20), diz a Bíblia. E, em Coríntios 6:19 está escrito: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o Templo do Espírito Santo, que habita em voz, proveniente de Deus, e que não sois de vós”.

Essas são reflexões que me vieram a mente ao ver o vídeo do encontro de pastores e suas famílias, liderado pelo pastor-presidente da igreja Assembleia de Deus no Amazonas (IEADAM), Jonatas Câmara, realizado ontem no Dulcila Festas e Convenções, na Ponta Negra.

Como em qualquer culto, o pastor-presidente Jonatas Câmara, irmão do deputado federal Silas Câmara, está de pé no púlpito – tribuna em local elevado dentro de uma igreja ou templo. Ao seu lado, em cima de cadeira, não está a Bíblia ou panfletos com as escrituras bíblicas, mas sim impressos com propaganda política do candidato a prefeito da tríade de irmãos que comandam a Assembleia de Deus: Jonatas, Silas e Samuel.

Braços levantados aos céus, como se faz nos encontros de adoração a Deus, Jonatas, aos gritos, faz os pastores repetirem inúmeras vezes: “Irmãos, no primeiro turno nós fomos 10 e agora somos 22”. Ele determina até mesmo para que os pastores e seus familiares repitam, literalmente falando, os nomes dos candidatos a prefeito e vice, em quem votaram e devem votar.

E, como um animador de comício, dita até o comportamento dos presentes ao encontro, visivelmente, para agradar os políticos que apoia, no momento da entrada ao “culto” de seu irmão Silas Câmara, e de seu candidato a prefeito Marcelo Ramos e vice, Josué Neto. “Pode aplaudir e receber o 10 e 22”, diz o pastor, tendo aplausos como resposta.

Mas, ele parece não achar suficiente a manifestação de aprovação dos pastores e determina: “Isso, continue a aplaudir que eu sei que vocês querem aplaudir mais. Vou estimular você a aplaudir, Deus abençoe!”.

Na foto, presentes ao “culto” de “benção” ao candidato a prefeito e vice-prefeitos da tríade dos Câmara e, segundo eles, da Igreja Assembleia de Deus estavam a Ouvidora-Geral do Governo do professor Melo, Zanele Rocha Trindade, a secretária da Pessoa com Deficiência, pastora Vania Melo, esposa do também pastor Moisés Melo, vice-presidente da IEADAM, e o pastor Francisco, mais conhecido como pastor Chiquinho, marido da irmã do deputado Silas Câmara, Eliab Câmara. O pastor Chiquinho já ocupou o cargo de tesoureiro da Empresa Estadual de Turismo do Governo do Estado e agora é subsecretário de Turismo de Melo.

Depois de ver e ouvir tudo isso, acredito que o Deus no qual creio de todo coração e alma não gostaria nadinha de ver os homens transformarem templo de oração em lugar de campanha política. Pra mim, ele voltaria a usar o chicote como fez com os vendilhões do templo. E vocês o que acham, meus irmãos? (Any Margareth)