Tribunal de Justiça do Amazonas é desocupado às pressas após edifício tremer

Por meio de nota, o TJAM justificou a evacuação e resolveu que as atividades fossem realizadas em home office

Foto: Divulgação

O prédio do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) precisou ser desocupado às pressas por questões de segurança, após um tremor ser sentido na manhã desta quinta-feira (26) relacionado possivelmente ao terremoto ocorrido em países vizinhos ao Brasil.

O tremor foi reflexo do terremoto de magnitude 7.2 que atingiu o Peru, e pôde ser sentido em alguns pontos de Manaus, na manhã de hoje. Os tremores também foram registrados no Chile e Equador.

Por meio de nota, o TJAM justificou a retirada das pessoas que estavam no prédio e a decisão da presidência da Corte de Justiça de que as atividades forenses fossem feitas de forma virtual.

Confira nota

Em razão do ocorrido no início do expediente desta quinta-feira (26/05), quando o Edifício Arnoldo Péres, Sede do Tribunal de Justiça Amazonas, no Aleixo, registrou reflexo possivelmente relacionado a terremoto ocorrido em países vizinhos ao Brasil, a Presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas determinou que a atividade forense do referido Edifício, do Anexo Administrativo e da EASTJAM, realiza-se na modalidade home office, nesta data, sem prejuízo dos prazos processuais.

O atendimento às partes, advogados e público em geral fica mantido através do Balcão Virtual.

Por precaução, a equipe da Secretaria de Infraestrutura do TJAM foi acionada para avaliações pertinentes, juntamente com a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros.

Fica o registro do ponto eletrônico biométrico dispensado no dia de hoje.