Anúncio

Trump anuncia pressa no uso de hidroxicloroquina em pacientes da Covid-19

Foto: Brendan Smialowski/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quinta-feira, 19, maior celeridade da agência federal para Drogas e Alimentos (FDA) na aprovação de medicamentos para tratar pacientes da Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. Um dos remédios mencionados por Trump é o hidroxicloroquina, usada na prevenção e tratamento de alguns tipos de malária.

Um estudo de cientistas chineses publicado no início do mês apontou que a droga mostrou ser eficaz em inibir o vírus em laboratório. Um primeiro teste em humanos, realizado na França, foi promissor: 70% dos infectados testaram negativo seis dias depois do início da medicação.

“Não vai matar ninguém”, declarou Trump, para em seguida enfatizar ser o medicamento “muito poderoso” e ter apontado “resultados prévios muito encorajadores”. “Será prescrito por médicos”, ressalvou.

Nos Estados Unidos, a epidemia escalou com rapidez desde o início deste mês. Nesta quinta-feira, cálculos do jornal The New York Times apontam que há 10.201 casos confirmados, em todos os 50 estados do país, e 149 mortes.

Trump afirmou que a droga estará disponível o mais rápido possível e que este e outros remédios podem ser adquiridos de outros países para conter a mortalidade causada pela epidemia. Até esta quinta-feira, a maior aposta da Casa Branca estava no desenvolvimento acelerado de vacinas – uma delas já começou a ser testada em humanos –, cuja comercialização não ocorrerá em prazo inferior a um ano.

O responsável pela FDA, Stephen Hahn, ao lado de Trump, afirmou que a hidroxicloroquina será amplamente testada para o tratamento da Covid-19. Mas enfatizou que tanto a FDA como outras agências continuarão a trabalhar em uma vacina.

No Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não autoriza a adoção desse medicamento em casos de Covid-19. A agência registrou o uso do medicamento genérico sulfato de hidroxicloroquina em 2018, com a indicação para o tratamento de reumatismo e de doenças de pele. De acordo com o fabricante, a empresa EMS, podem fazer uso os pacientes de artrite reumatoide e os que estejam em casos de crises agudas e de tratamento supressivo de malária. Também pode ser adotado no tratamento de lúpus eritematoso e de e problemas de pele provocados ou agravados pela luz solar.