Trump diz que sai hoje de hospital e minimiza a Covid

Foto: Alex Edelman/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que irá deixar ainda nesta segunda-feira (5) o Centro Médico Militar Walter Reed, onde está internado para tratamento de Covid-19. Em um post em rede social, ele disse que está se sentindo “realmente bem”.

Segundo ele, a previsão é de que deixe o local às 18h30 (19h30, no horário de Brasília).

“Vou deixar o grande Walter Reed Medical Center hoje às 18h30. Sentindo-me realmente bem! Não tenha medo da Covid. Não deixe que ela determine sua vida. Nós desenvolvemos, na administração Trump, alguns medicamentos e conhecimentos realmente ótimos. Sinto-me melhor do que há 20 anos!”, escreveu.

Trump foi internado na tarde de sexta-feira (2), horas após divulgar em uma rede social que ele e a primeira-dama, Melania, tinham recebido diagnósticos positivos para Covid-19. Segundo a Casa Branca, ele foi levado ao Centro Médico Militar Walter Reed, próximo a Washington DC, apenas por precaução.

Naquele dia, um boletim dizia que ele tinha apenas sintomas leves, como fadiga.

No sábado, durante a primeira coletiva de imprensa, a equipe médica responsável pelo atendimento ao presidente se recusou a responder se ele havia precisado de oxigênio. Os médicos admitiram, porém, que, embora tivesse uma melhora substancial, o paciente ainda não estava “fora de perigo”.

Mas, no domingo, o chefe da equipe, Sean Conley, disse que a oxigenação de Trump caiu duas vezes e ele recebeu oxigênio, uma vez na sexta e outra no sábado. Na mesma entrevista, entretanto, foi previsto que ele poderia ter alta na segunda-feira.

No mesmo dia, por volta das 18h20 do domingo, Trump deixou o hospital em um carro, e acenou para apoiadores que se aglomeram nas ruas perto do local. Ele retornou após meia hora à suíte presidencial do hospital.

Nesta segunda-feira (5), a porta-voz da Casa Branca, Kayleigh McEnany e dois de seus assessores também informaram estar com Covid-19, aumentando o número de pessoas próximas ao presidente contaminadas.

Ao menos dez pessoas do governo ou do círculo de assessores próximos a Trump testaram positivo nos últimos dias. Entre aqueles que testaram negativo estão familiares do presidente, inclusive Barron, de 14 anos, filho dele com Melania, que está sendo testado diariamente, segundo a imprensa americana, desde que os pais tiveram diagnóstico positivo.

Segundo uma reportagem do jornal “The Wall Street Journal” do domingo (4), antes de divulgar o resultado definitivo de seu exame de Covid-19 na madrugada de sexta-feira, Trump deu entrevista por telefone a um programa de TV, mas não revelou que um teste inicial já indicava que ele estava com coronavírus.

De acordo com a publicação, ele recebeu o resultado de um teste rápido na quinta-feira (1). Depois disso, Trump deu uma entrevista a um programa de TV da Fox News no qual falou da infecção de uma de suas assessoras, mas nada sobre a sua própria contaminação.