Anúncio Advertisement

Os truques mágicos do prefeito Adail que faz sumir celular e até jornal em Coari

Positivamente, Coari é uma cidade onde tudo pode acontecer, depende da vontade do alcaide que domina esse município. Primeiro o prefeito, determinou que a comunicação entre secretários e assessores se dê apenas através de rádios comunicadores, não mais por celulares, por medo dos telefones estarem grampeados e ter gente lá da CPI da Pedofilia da Câmara Federal ouvindo conversas impróprias para menores. Agora, Adail, como num passe de mágica, daqueles que ele usa para desaparecer até processo que está em pauta de julgamento, mesmo sendo na distante capital federal, fez sumir os jornais que chegam à cidade para que ninguém possa ler uma linha sobre as investigações que estão sendo feitas pela CPI da Câmara de Coari aberta para investigar os contratos milionários da Prefeitura.

Mágica desvendada

Ao estilo “Mister M”, aquele mágico norte-americano que desvendada os segredos de vários truques de mágica, o Radar conta pra você como acontece o sumiço de jornais em Coari. Um dos assistentes de mágico da Prefeitura de Coari, o secretário de Governo, Júlio dos Santos Sales, teria feito um show de ilusionismo para a dona da única banca de jornal da cidade, onde para cada exemplar dos jornais de Manaus que some, ele faz aparecer o dobro do valor cobrado pelo jornal dentro do caixa. Que truque incrível, não é mesmo?

Mágica do carro

Um dos vereadores que faz parte da CPI que investiga os contratos milionários do prefeito Adail Pinheiro com fornecedores da Prefeitura, contou ao Radar que numa passada de vista nos contratos de aluguel de 83 veículos por um ano, pelo “módico” valor de R$ 10,6 milhões, ficou impressionado com o truque de ilusionismo feito pelo prefeito. “Pois não é que teve carro que sumiu, e incrível que o dinheiro também”, diz o espectador espantado. Com essa, até Houdini, considerado o maior ilusionista de todos os tempo, se contorceu no túmulo de inveja!

 Truque dos vereadores

  E os vereadores da “CPI dos contratos milionários do Adail” – nome utilizado pela população de Coari quando fala da comissão da Câmara – que estavam embasbacados com o sumiço repentino de jornais na cidade também fizeram um truque de mágica digno de profissionais do ramo. Fizeram surgir cópias dos ato de criação da CPI e as denúncias que respaldaram a instalação da comissão dentro das escolas, universidades, secretarias, sindicatos, órgãos públicos, por tudo que é canto de Coari. Golpe de Mestre!