Um ano depois de dar R$ 1 milhão para time de vereador aliado, David anuncia novo patrocínio de mais R$ 2 milhões

Foto – Antonio Pereira / Semcom

Pouco após retornar de seu “tour esportivo” junto com assesores e amigos pela Europa, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante) anunciou patrocínio de R$2 milhões para o Manaus FC, para a disputa da Série C. O presidente de Honra do clube é o vereador Luis Mitoso, aliado do atual prefeito na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Apesar de já ter anunciado o patrocínio durante coletiva, o prefeito não detalhou de qual secretaria será feito o repasse para o clube amazonense.

Durante a coletiva, Almeida afirmou que será o maior patrocínio da história do clube. “É inconcebível que não tenhamos um clube pelo menos na Série B. Anunciei para eles que a partir de segunda-feira, quando eles estiverem chegando, farei um convênio com a prefeitura. Temos que apoiar o Manaus a chegar na Série B. Nós vamos investir R$ 2 milhões, o maior patrocínio da história do clube. Agora eu vou dobrar o apoio e vocês vão subir para a segunda divisão”, disse ele.

No último ano, ele já havia destinado R$1 milhão para o clube. No entanto, o prefeito de Manaus parece ter “esquecido” que o Amazonas possui clubes na Série D do Campeonato Brasileiro, não apenas na Série C. O São Raimundo, time que tem como diretor o vereador oposicionista Rodrigo Guedes (Republicanos), atualmente disputa a quarta divisão nacional. O prefeito não anunciou patrocinio para outros times.

Para o Gerente de Futebol, Juan Muniz, o esperado é que questões políticas não atrapalhem o clube na busca pelo acesso, pedindo bom senso ao prefeito David Almeida. “A gente espera que o prefeito seja justo. Se ele irá ajudar uma equipe em competição nacional, ele pode ajudar as demais. Ele não pode prejudicar um clube por questões políticas, que ele deixe a política de lado e ajude os clubes amazonenses”, explicou ele.

Vale lembrar que em março deste ano o vereador Rodrigo Guedes trouxe à tona as dificuldades financeiras do São Raimundo. “Precisamos ser sinceros, a situação é de total falta de recursos. Vamos sim (pagar as dívidas), por questão de honra. Mas ainda não temos perspectiva de recursos! Deixando claro: eu paguei a segunda folha deles, outros custos a torcida bancou e o resto foi de patrocínio. O resto foi custeado por mim, do meu bolso e pela torcida”disse ele, na época.