Codam aprova projeto da LG retirado da pauta do CAS pelo Ministério da Economia

Foto: reprodução

O Conselho de Desenvolvimento do Amazonas (Codam) aprovou nessa quinta-feira (29), o projeto da LG Eletronics do Brasil, que decidiu transferir de São Paulo para Manaus a produção de notebook, microcomputador e monitor de LCD.  O Radar repercutiu nessa quinta-feira (30), a retirada de pauta pelo Ministério da Economia ao projeto que prevê investimentos de R$ 352 milhões, que foi denunciado pelos parlamentares Zé Ricardo (PT) e Serafim Corrêa (PSB).

Para ser implantado na Zona Franca de Manaus, os projetos precisam ser aprovados tanto pelo CAS (que avalia as isenções fiscais federais) quanto pelo Codam (que cuida das isenções fiscais estaduais). No entanto, o projeto ainda depende da aprovação do CAS.

Na quarta-feira, 28, na reunião do CAS, o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, que presidia a sessão virtual, surpreendeu os participantes ao retirar da pauta o projeto que previa a diversificação das linhas de produção da empresa LG para o Amazonas.

O secretário de Planejamento do Amazonas e vice-presidente do Codam, Jório Veiga, explicou durante a reunião do Codam que, mesmo que a situação tenha causado certo nível de tensão, a medida está amparada pelo regimento daquele Conselho.

“Embora tenhamos sido pegos de surpresa com a retirada de pauta de um dos projetos, sabemos que a decisão é regimental e que qualquer conselheiro pode pedir vistas. Entretanto, da maneira como foi feita, nos surpreendeu. Não esperávamos, uma vez que o projeto já havia sido aprovado em instâncias anteriores. É um projeto de alta importância e muito bem-vindo para o Estado do Amazonas”, afirmou o vice-presidente do Codam.

Projetos da LG e Samsung

A LG Eletronics do Brasil apresentou três projetos para a Zona Franca de Manaus, sendo dois na modalidade de diversificação para a produção de notebook, microcomputador, monitor LCD e projetor de vídeo, e um na modalidade de atualização, para a produção de telas que serão utilizadas na fabricação de televisores e monitores de vídeo.

O investimento previsto é de R$3,8 bilhões (25,8% da pauta principal do Codam, que somou R$ 15 bilhões) e geração de 240 novos postos de trabalho e 230 reaproveitamentos de trabalhadores.

A Samsung também apresentou três projetos de atualização para produção de notebook, home theater e smartphones, com investimento total previsto em R$8 bilhões (59,4% do total da pauta), além da geração de 731 novos postos de trabalho e de 1.852 que serão remanejados.

A reunião do Codam desta quinta-feira foi considerada história pelo secretário de Planejamento do Amazonas pelo volume de investimentos previstos para os próximos três anos nos projetos aprovados.

“Estamos participando de uma reunião histórica porque faltou muito pouco para que a gente chegasse aos R$15 bilhões. E, no meio de tudo o que o Brasil está vivendo, onde já perdemos muitas pessoas próximas e queridas e, apesar de tudo o que estamos passando com a maior crise sanitária, conseguimos chegar a essa marca de investimento. Quero deixar aqui esse registro”, afirmou Veiga.