Um fake que foi parar na China

A cada dia fica mais visível a farsa criada pelo agora presidente Messias Bolsonaro para ganhar as eleições do ano passado. A cada dia se vê que a vitória de Messias Bolsonaro não só foi alicerçada em milhares de perfis fakes. Bolsonaro é um fake. Uma prova disso é que tudo que ele fala não se deve levar a sério, ou está mentindo ou volta atrás. É só lembrar que, na campanha à presidência, Bolsonaro elegeu a China como país comunista a ser combatido. Bolsonaro falava da China como “um país que não está comprando no Brasil, está comprando o Brasil”.

Bolsonaro não disse e nem precisa dizer que acredita que o povo brasileiro é massa de manobra, trocando em miúdos, para Bolsonaro o povo é burro mesmo. Ele esculachava a China, durante a campanha à presidência, para ludibriar uma parcela da população que vive no Brasil de décadas atrás, naquele Brasil que os militares diziam que vivia sob ameaça de uma ditadura comunista, para criar um ambiente propício para uma ditadura militar.

Mas Messias Bolsonaro jamais falou, ou seja, omitiu que a China, a segunda maior economia do mundo, é o nosso principal parceiro comercial. O comércio entre Brasil e China somou, segundo dados do próprio Ministério da Economia, US$ 36,1 bilhões no ano passado, cerca de R$ 145,8 bilhões, levando em conta o valor do real nesta quinta (24) de pouca mais que R$ 4,00. Quando Bolsonaro não omite, ele mente.

Dizia que os governos passados estavam vendendo o Brasil para a China, mas Messias Bolsonaro deixou claro que não recusaria a compra de empresas estatais em processo de privatização por empresários chineses. Então quem quer vender o Brasil mesmo hein?

E ainda avançou no seu intento de transformar o Brasil no que se chama popularmente de “casa de noca” – eu chamo mesmo é de bundalelê –  já isentou vistos de entrada no Brasil para os Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália e agora liberou geral para os chineses e diz ainda que vai fazer o mesmo para os indianos. Ou seja, ninguém paga nada, entra e sai do Brasil quando bem entender e não precisa nos tratar da mesma forma. A burocracia de visto para brasileiros nesses países continua a mesma. Mas tá certo, afinal o mito é um grande patriota!

E pra fugir do julgamento dos seus seguidores que acreditaram piamente – muitos continuam acreditando – no lero lero de combate ao comunismo do Messias Bolsonaro, ele tratou até de mudar o regime de Governo da China, não por ignorância, mas por pura má intenção mesmo. “Estou num país capitalista”, disse Bolsonaro ao chegar à China. Enquanto isso, tudo que se vê nas ruas de Pequim são painéis de comemoração aos 70 anos da revolução comunista.

E tem gente que ainda acha que, com essa declaração, Bolsonaro faz demonstração de força e peita o governo chinês, sem lembrar que os orientais não se abalam com bravatas e leseiras. A segunda maior economia do mundo, só pensa em quanto vai lucrar fazendo negócio com o Brasil.

E muita gente continua aplaudindo as farsas e mentiras de Bolsonaro, sem sequer notar ou se incomodar de estar sendo chamado de burro.