Um final de semana nada natalino

Esse foi um dos finais de semana mais turbulentos que vivenciei nos últimos tempos. Coincidentemente, na sexta-feira, 13 de dezembro, as notícias eram “macabras”. As denúncias preocupantes davam conta do sumiço dos técnicos de enfermagem dos hospitais de Manaus por causa de atraso de salários que, segundo eles, já chegam a quatro meses.

O caso mais grave que chegou ao conhecimento do Radar, através do WhatsApp, esteve relacionado a maternidade Ana Braga onde as próprias mães tinham que prestar assistências aos seus bebês recém-nascidos porque não havia profissional de saúde pra fazer isso.

E quando eu achava que a situação não poderia ficar pior, chegaram informações que nem mesmo no berçário de crianças prematuras havia técnicos de enfermagem para fazer os procedimentos necessários. As mães, mesmo de resguardo, estavam ao lado de seus filhos, mas demonstravam desespero por não saber o que fazer.

Mas pensam que parou por aí? De jeito nenhum! Em um dos vídeos repassados ao Radar uma mãe diz que não há sequer alimentação na unidade de saúde.

E fiquei pensando cá com meus botões que, obviamente, essas não são coisas que devem acontecer não importa em que mês do ano, mas torna-se ainda mais cruel quando pensamos que estamos no mês de dezembro, às vésperas do nascimento de Jesus Cristo, um bebê que também era de família humilde, filho de carpinteiro, mas que veio ao mundo para realizar grandes obras e salvar a humanidade.

E quanto a nós que observamos um final de semana tão pouco natalino, nos cabe criticar o descaso com essas crianças e pedir ao Deus menino que as proteja do descaso do Estado.