Um show de absurdos pelo preço de R$ 0,10

rozenha montagem 2

Lá pelas bandas da Câmara Municipal de Manaus, se o vice-líder do prefeito, vereador Rozenha,  diz ter levado muita pancada pelas redes sociais após postar a redução em R$ 0,10 na tarifa do trasporte coletivo, um de seus liderados (ou será vice-liderado?), o vereador Joãozinho Miranda claramente na tentativa de consolá-lo, saiu com essa: “Nunca estão conformados. Se aumenta, é ripada nas costas, se diminui leva ripada também”. Ele quer que a gente se conforme com a injustiça de ver os empresários sempre ganhando milhões, cobrando uma tarifa exorbitante, deixando de pagar impostos estaduais (ICMS), e agora até federais (PIS e Cofins) , recursos estes que poderiam ser investidos em áreas como educação e saúde, enquanto nossas famílias têm que pagar por um transporte caro e humilhante? E, ainda suportar isso, caladinhos , é? Depois de falar um troço desse ainda acha que tá levando ripada injusta, é?

“Eu já sabia!”

O Radar bem que avisou o que ia acontecer, não é mesmo? E, nem é porque aqui exista arauto de más notícias, não! Quem dera que a gente pudesse prever (e escrever) só coisas boas… Faríamos isso, felizes da vida. A questão é que, ao contrário daqueles que tomam decisões sobre transporte coletivo mas nem conhecem a realidade diária de um usuário, a rapaziada aqui do Radar tem sempre alguém da família que utiliza ônibus, desde filhos até pai e mãe. Por isso, é que antecipamos, desde a sexta-feira passada quando houve o anúncio da redução em R$ 0,10 da passagem de ônibus, que a “histórica” falta de troco por parte dos cobradores dentro dos coletivos, ia provocar uma “guerra” . Pois foi o que aconteceu. A baixaria rolou solta dentro dos coletivos, com acusações, palavrões, e até inicio de agressão física. E nossos filhos expostos a esse tipo de coisa. Dá pra ser feliz?

Como um qualquer

E, tem vereador que a gente sabe que não fala certas coisas por maldade, até porque qual é o politico que em sã consciência iria querer ofender o trabalhador ou até mesmo desqualificar o cargo que ocupa, não é mesmo? Por isso mesmo, a rapaziada do Radar aconselha os parlamentares a pensarem no discurso que vão fazer, medirem palavras, porque tem certas coisas que são ditas que são absurdas . O vereador Jornada após contar que iria para a Câmara, hoje, de ônibus, com três reais no bolso para ver se o cobrador teria troco, disse isso: “Não venho como vereador. Vou vir como um qualquer – quer dizer que quem não é vereador é um qualquer? E, logo depois, ao se dar conta do que tinha dito, saiu com mais essa: “Vou vir como um trabalhor digno! (e vereador não é?)” . Sem comentários!

Dá um rancho, aí?

Já o vereador-médico Dr. Ewerton Wanderley considerou o discurso do vice-líder do prefeito, vereador Rozenha, com quilos de arroz e feijão e ticket de supermecado ëxtremamente didático”. E logo depois, pediu: “Quem sabe possamos ser contemplados com uma cesta básica dessas?”. A coisa tá feia!

E cadê Barreto?

E como não poderia faltar nesse show, a gente não pode esquecer o Barreto, o líder do prefeito na CMM. Afinal, as “pérolas” do discurso do líder sempre nos deixam boquiabertos. Ontem, ele exaltou a presidente Dilma Rouseff (que deve ter ficado emocionada) e a desoneração de impostos para os empresários do transporte coletivo (e esses o Radar tem certeza que estão emocionados). Mas, desta vez, não vamos nos deter ao “discurso eloquente” de Barreto (denominação dada pelo vereador Marcel Alexandre sobre o líder). O Radar, preocupado com o bem estar do nobre parlamentar, quer saber se ele está bem, já que ontem ele parecia estar com adrenalina altíssima durante seu discurso na tribuna. Era um tal de vira o corpo pra esquerda, e logo depois pra direita, balança o pescoço pra todos os lados, gesticula freneticamente e ate chega a se contorcer, que a gente achou que ele iria ter um “troço””. E nossa preocupação ficou ainda maior quando lemos as faixas que estudantes levaram para o plenário com mensagens nada agradáveis sobre Barreto. Pois o radar recomenda: “Te acalma Barreto!”

Essa é pra acabar!

Já sobre o discurso do vereador-empresário do setor de transporte, Jairo da Vical, o Radar nem vai tecer grandes comentários porque os nossos “brilhantes e antenados” leitores do Radar vão chegar as suas próprias conclusões. Primeiro, ele disse que se com a redução da passagem já tinha a maior crise, então:  “Se houvesse um aumento da passage em R$ 0,10 teriamos aqui uma guerra”. Como é que é? Ele ainda tá falando de aumento de passagem?. E consolou o líder do prefeito com mais essa: “Quem critica a redução da passagem nas redes sociais é porque não utiliza o transporte coletivo”. Em que planeta ele está? em que? Entre mais de 15 milhões de usuários, ninguém tem twitter e nem facebook? Talvez, Jairo deva estar tirando por ele, que não usa transporte coletivo já que, inclusive, é dono de empresa de ônibus (Vical Transportes Especiais). Parafraseando o ex-prefeito Amazonino Mendes em um de seus casos mais polêmicos: “Tá explicado”.