Unidades de saúde do Amazonas devem receber respiradores e EPIs produzidos pela UEA

Divulgação/UEA

As unidades de saúde do Amazonas devem receber ventiladores para respiração em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e equipamentos de proteção individual (EPIs) produzidos pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

A medida é uma iniciativa de professores, alunos, técnicos, anestesiologistas, intensivistas e gestores da UEA que buscam soluções para auxiliar médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde para combate à disseminação do novo coronavírus no Estado.

De acordo com a presidente da Comissão de Saúde e Previdência da ALE-AM, deputada Mayara Pinheiro (PP), a previsão é que nesta sexta-feira (3), cerca de cinco mil EPIs já sejam entregues.

Na última terça-feira (31), o reitor da UEA, Cleinaldo Costa, fez uma apresentação dos protótipos produzidos pela Universidade ao secretário de Saúde, Rodrigo Tobias, e demais representantes do Governo.

A UEA, em parceria com o Instituto Federal do Amazonas (Ifam), também trabalha no desenvolvimento de um respirador mecânico. Além da produção, a iniciativa da UEA é para a manutenção dos ventiladores da rede estadual de saúde que apresentam defeito. Também foi apresentado o kit de EPIs – com macacão, máscara, avental, propé e capuz – já desenvolvido para os profissionais de saúde. O material está sendo fabricado em impressoras 3D, nos laboratórios da Escola Superior de Tecnologia (EST-UEA) e por meio de terceirização.

“O objetivo é produzir, inicialmente, 16 mil aventais, capuzes e pares de propés caneleiras, em torno de mil unidades por dia. A UEA e o Governo do Amazonas planejam suprir, com esses EPIs, as equipes de saúde da capital e do interior, dentro do que for possível”, afirmou o reitor.

Capacitação – A UEA também deu inicío, na última segunda-feira (30), a treinamentos por meio do Telessaúde. Serão aulas intensivas de prevenção, diagnóstico e tratamento da Covid-19, que serão direcionadas às equipes de saúde dos municípios do Amazonas.

De acordo com o reitor Cleinaldo Costa, a proposta é capacitar 300 médicos dos Sistema Único de Saúde (SUS) com treinamentos de intubação de vias aéreas e suporte avançado de vida no laboratório de Habilidades da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA-UEA).

“Estamos unidos e dispostos a ajudar a população do Amazonas, com o intuito de que iremos atravessar essa fase, salvar vidas e vencer a Covid-19. Agradecemos às instituições parceiras de primeira hora, que são muito importantes na pesquisa e desenvolvimento desses equipamentos de proteção individual (EPIs), entre elas, a Associação Amazonense do Ministério Público, o Ministério do Trabalho do Amazonas e Roraima, e o Hospital da Aeronáutica de Manaus”, finalizou o reitor.

Com informações da assessoria da Universidade.