Vacinas reduzem risco de Covid longa em 15%, afirma pesquisa

Foto: ilustrativa

Uma pesquisa publicada na revista Nature, no fim de maio, mostra que pessoas vacinadas contra a Covid-19 têm menos risco de desenvolver Covid longa caso sejam infectadas pelo coronavírus.

No estudo, os pesquisadores, que são do departamento de saúde que cuida dos veteranos de guerra dos EUA, compararam informações de 33.940 pessoas que tiveram Covid após receberem as vacinas Janssen, Pfizer ou Moderna, com 113.474 não vacinados que também foram infectados.

A vacinação reduziu o risco de Covid longa em 15%, o que foi considerado uma diminuição modesta pelos autores do estudo. A gravidade dos sintomas da Covid longa não mudou entre os vacinados e os não vacinados que desenvolveram a condição.

“Nossos resultados mostram que a vacinação contra Sars-CoV-2 antes da infecção reduziu apenas parcialmente o risco de sequelas pós-Covid. São necessárias medidas para a prevenção de infecções revolucionárias para reduzir de forma mais otimizada o risco das consequências para a saúde a longo prazo da infecção por Sars-CoV-2″, escreveram os autores do estudo.