Vai dar confusão: diz fonte do Radar que na lista de demissões de Melo a maioria dos demitidos é da “turma” de Omar

Melo Omar Rasga

A confirmação sobre cerca de mil demissões de funcionários comissionados na estrutura da administração do governador José Melo (PROS) teria ocorrido durante a reunião com 17 deputados estaduais, realizada na quarta-feira passada (28). Entre vários assuntos, como por exemplo a eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), o governador falou sobre a reforma administrativa que, segundo previsão feita por ele próprio, deve estar pronta e será enviada para a Aleam para ser discutida – apenas maneira de dizer, né gente, porque não tem é discussão quase nenhuma – e votada – e não precisa ser vidente pra dizer que vai ser aprovada-, na próxima quarta-feira (04).

O corte de cerca de mil cargos comissionados vai estar incluído na reforma administrativa e, conforme explicou o governador seria uma das medidas para “reduzir gastos com a máquina pública”. Até ai nada de anormal. O problema é que, segundo fontes do Radar que tem trânsito (quase sempre) livre no Governo, já teria vazado a informação de que o governador José Melo pretende “cortar na carne” para tentar equilibrar as contas do Governo que estão no vermelho desde o ano passado, mas não preferencialmente na sua “carne”.

A informação é de que os escolhidos para irem para a “degola” são preferencialmente aqueles que dizem que “deram o sangue” na campanha para a eleição do ex-governador, agora senador eleito Omar Aziz (PSD). E a notícia já se espalhou como um rastilho de pólvora. E a previsão é que isso cause uma confusão danada, com acirramento de humor do senador Omar Aziz que, ao contrário do que aparecia na propaganda eleitoral, não era (não se sabe se já é) chegado a ter muito arroubos de riso e demonstrações de alegria incontida. Aqueles que devem estar nessa lista de demitidos pretendem, segundo a fonte do Radar, ir para a porta de Omar chorar as mágoas pelo tratamento recebido pós-eleição. Resta saber se o choro vai ser ouvido. (Any Margareth)