Avaliação de desempenho é aplicada em 82 mil alunos da rede municipal

Nessa quarta-feira (25), cerca de 82 mil alunos das turmas de 3º, 4º, 6º, 8º anos, do Ensino Fundamental, Projeto Itinerante e da Educação de Jovens e Adultos (EJA), da Secretaria Municipal de Educação (Semed), participaram da segunda prova da Avaliação de Desempenho do Estudante (ADE). Ao todo, estudantes de 363 unidades foram avaliados nas disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática.

Conforme a assessora pedagógica da Divisão de Avaliação e Monitoramento (DAM) da Semed, Santana Amaral, a expectativa é boa quanto aos resultados positivos. “É a segunda aplicação e vamos aguardar os resultados para um bom resultado, mas acreditamos que as escolas tenham feito um bom trabalho para que isso aconteça diante dos alunos participantes do teste”, disse.

Entre as escolas da Divisão Distrital Zonal (DDZ) Sul, 5.763 alunos de 42 unidades, participaram da ADE. De acordo com o assessor pedagógico da DDZ Sul, Anderson Rodrigues, as escolas realizaram um trabalho de preparação para que os resultados obtidos fossem positivos. “A nossa expectativa é a de que nossos alunos tenham um resultado satisfatório. Buscamos trabalhar para que nosso rendimento possa crescer cada vez mais”, destacou.

A pedagoga Amanda Freitas, da Escola Municipal Waldir Garcia, que trabalha com o formato de Educação Integral, no bairro São Geraldo, zona Centro-Sul, explicou que foram desenvolvidas várias atividades pedagógicas durante todo o primeiro bimestre. A meta é alcançar o resultado na primeira prova com 78% dos acertos.

“A ADE é um instrumento que nós usamos para melhorar, ver o que está dando certo no trabalho que estamos fazendo, se as crianças estão aprendendo. Enfim, em cima desses resultados vamos planejar as nossas ações futuras”, observou a pedagoga.

A primeira ADE realizada no dia 25 de abril, contou com a participação de 75.439 mil estudantes de 360 escolas municipais. A terceira e última prova da ADE será realizada no dia 10 de outubro. A avaliação começou a ser realizada em 2014 e permite que as escolas trabalhem em cima das habilidades que precisam ser melhor desenvolvidas pelos alunos.