Valor que Wilson Lima quer “abocanhar” do FTI chegará a R$ 350 milhões

O governador Wilson Lima (PSC) deve tentar nesta semana, pela segunda vez, que a Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) autorize o Governo a utilizar os recursos do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Estado do Amazonas (FTI) prometendo utilizar esse dinheiro em “investimentos para melhoria ou ampliação da rede pública de Saúde do Estado” – igualzinho fez o governador cassado por crime eleitoral e preso por corrupção José Melo que também pediu e conseguiu uma autorização da Assembleia para usar os recursos do FTI.

Mas algo que o Radar descobriu é que os R$ 200 milhões citados pela base aliada de Wilson na Assembleia são, na verdade, R$ 349,7 milhões, ou seja, quase R$ 350 milhões. O valor corresponde a 40% da dotação inicial aprovada para o Fundo que atinge o montante de R$ 874,3 milhões. (Veja o documento no fim do texto)

Nesta segunda-feira (18), o líder do Governo na Assembleia, deputado Carlinhos Bessa (PV) – o mesmo que retirou o projeto de pauta semana passada – garantiu que os recursos retirados do FTI não trarão impacto negativo para o interior do Estado.

“Ficou acertado a utilização de até 40% do contingente, sendo que 15% desse valor será para aquisição de equipamentos e materiais permanentes para os 11 municípios que possuem hospitais plenos no interior e 85% especificamente para pagamento de pessoal terceirizado que prestam serviços para o Governo do Estado”, disse.

De acordo com a deputada estadual Dra. Mayara Pinheiro (PP), Manaus ficará com R$ 298 milhões (25%), valor usado prioritariamente para o pagamento de médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e agentes de limpeza. Os 15% restantes, correspondentes a R$ 52 milhões vão para o interior do Estado.

Até agora, em um mês, o Governo gastou apenas R$ 7,1 milhões do FTI com as atividades para as quais o fundo foi criado: interiorização do desenvolvimento.

Se o Governo resolvesse utilizar os R$ 874,3 milhões do FTI para o desenvolvimento do interior, cada município deve receber, igualitariamente, cerca de R$ 14,3 milhões. No entanto, ao que tudo indica, os recursos devem ser destinados a outro fim.

Saia justa

Na última semana, o governador deixou sua base aliada na Aleam em uma tremenda saia justa. Isto porque tentou com umas poucas palavras em dois pedaços de papel convencer os deputados autorizar o Governo a fazer o que bem entendesse com o dinheiro destinado ao povo sofrido do interior.

Depois de muita reclamação da grande maioria dos parlamentares da Assembleia, o líder do Governo, deputado Carlinhos Bessa (PV), retirou o projeto de pauta. A previsão é que o “novo” projeto seja votado até quarta-feira (20).

Veja a dotação orçamentária do FTI