Variante Delta é 40% mais transmissível, aponta Reino Unido

A cepa indiana, agora chamada de Delta, já é predominante no Reino Unido EFE/EPA/ANDY RAIN/ARCHIVO

A cepa indiana, agora chamada de Delta, já é predominante no Reino Unido
EFE/EPA/ANDY RAIN/ARCHIVO

A variante Delta, como agora é chamada a cepa indiana, é 40% mais transmissível do que o coronavírus padrão, afirmou o ministro da Saúde do Reino Unido Matt Hancock, conforme publicado neste domingo (6) no jornal britânico The Guardian. O dado, segundo ele, pode adiar a flexibilização das restrições na região, previstas a partir do dia 21.

Essa variante havia sido avaliada entre 30% e 100% mais transmissível do que a chamada variante Alfa, a primeira identificada no mundo, então chamada de variante do Reino Unido, ressalta o jornal, destacando que o ministro, com informações mais recentes, cravou a porcertagem de 40%.

“Isso significa que é mais difícil gerenciar o coronavírus com a variante Delta. Mas, depois de duas doses de vacina, temos confiança de que você obterá a mesma proteção que teria contra o vírus padrão. Portanto, a boa notícia é que a vacina funciona com a mesma eficácia”, declarou o ministro.

Cerca de 52% da população já foi vacinada com as duas doses. O Reino Unido foi o primeiro do mundo Ocidental a iniciar a imunização, em 8 de dezembro. A variante Delta já é predominante na região. É a nação mais afetada da Europa, com cerca de 128 mil mortes. Administrou pelo menos uma primeira dose da vacina anticovid a mais de 40 milhões de pessoas e mais de 27 milhões já receberam uma segunda dose.

Apesar do aumento no número de novos casos de covid-19 nos últimos dias, que ultrapassa os 5 mil registrados diariamente, o número de internações permanece estável, acrescentou Hancock. A maioria das internações refere-se a pacientes que não foram vacinados, assegurou.