Vários bairros de Pequim voltam a adotar confinamento por coronavírus 

Onze bairros residenciais no sul de Pequim, na China, foram bloqueados devido ao surgimento de novos casos de coronavírus vinculados a um mercado de carne próximo dessas áreas, informaram as autoridades neste sábado.

Até agora, sete casos estão relacionados ao mercado de carne de Xinfadi, seis deles confirmados no sábado, disseram autoridades. Nove escolas e jardins de infância próximos foram fechados.

A maioria dos casos registrados na China nos últimos meses surgiu entre cidadãos chineses residentes no exterior e foram detectados quando eles retornavam ao país.

Apesar de o surto local ter sido amplamente controlado, os recentes diagnósticos positivos levaram as autoridades de Pequim a adiar a volta às aulas dos estudantes do ensino fundamental, que estava prevista para segunda-feira, e a suspender todos os eventos esportivos.

As autoridades da capital chinesa também fecharam na sexta-feira dois mercados visitados por uma das pessoas contaminadas.

O presidente do mercado atacadista de carne de Xinfadi disse a repórteres que o vírus foi detectado em tábuas usadas para manipular salmão importado.

Grandes redes de supermercados, como Wumart e Carrefour, removeram todos os estoques de salmão da noite para o dia na capital, mas disseram que o fornecimento de outros produtos não seria afetado.

Um primeiro novo caso foi registrado em Pequim na quinta-feira, numa pessoa sem registro recente de viagens para fora da cidade.

No dia seguinte, as autoridades confirmaram mais duas infecções. Os outros cinco casos relatados no sábado foram trazidos do exterior.