Veja posta em seu site gravação feita no Compaj onde subsecretário de Justiça faz acordo com traficantes em apoio à reeleição do governador

Por Any Margareth

O próprio subsecretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado, major Carliomar Barros Brandão confirma que esteve no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e que estava em “missão oficial”. Ele dá como justificativa para se reunir com bandidos, num bate-papo bastante amigável, o fato de que tinha “informações de que haveria um banho de sangue lá dentro da cadeia e fomos tentar conversar para evitar isso”. Mas, pelo visto o subsecretário de Justiça não sabia que estava sendo gravado porque não é nada disso que aparece nas gravações feitas de trechos de uma reunião onde estavam não só ele, como também o diretor do presídio, capitão José Amilton da Silva e vários criminosos, entre eles um dos líderes da facção criminosa Família do Norte, o traficante  José Roberto Fernandes Barbosa, mais conhecido apenas por Zé Roberto, e outro traficante que é citado pelo apelido de “Bicho do Mato” pelo próprio major Brandão como participante do encontro, cujo nome é Francisco Álvaro Pereira. E o acordo, pasmem, é eleitoral onde os bandidos acertam apoio à reeleição do governador José Melo nesse segundo turno, em troca de agirem livremente dentro e fora do presídio.

A conversa embrulha o estômago de ver a proximidade entre o Governo do Estado e os criminosos, com acordos onde não se consegue fazer a diferença entre polícia, bandido e Governo. É só ouvir a seguinte declaração do subsecretário: “A mensagem que ele (governador) mandou pra vocês, agradeceu o apoio e que ninguém vai mexer com vocês, não”. Em resposta Zé Roberto diz que a “família” toda, dentro e fora da cadeia vai trabalhar para José Melo e faz até projeção de que a bandidagem conseguirá uns cem mil votos para o governador. E o áudio passa de nojento para revoltante quando um Governo se submete a ouvir as ameaças de um traficante que diz que se quiser fugir do presídio foge mesmo – pra quê ele vai fugir se lá tem tudo o que quer às nossas custas, né mesmo? -, e que comenta os ataques ocorridos em Santa Catarina como culpa do Governo daquele Estado que enfrenta a bandidagem. “Tá vendo aqui, a cadeia tá tudo em paz porque o governo daqui não mexe com nós”, diz Zé Roberto demonstrando o quanto o Governo do Amazonas é bonzinho com bandidos e como somos todos reféns de criminosos.

Infelizmente vale lembrar que nesse mesmo Compaj onde houve o bate-papo amigável do subsecretário com os bandidos, tem ocorrido fugas em massa de detentos, sem que essa mesma Secretaria de Justiça, da qual o major Brandão é subsecretário, diga nem mesmo quantos presos fugiram. Os presos saem pelo mesmo lugar, e depois de atacarem os cidadãos de Manaus, como se fosse um deboche com a nossa cara, voltam pra comer e dormir na cadeia pelo mesmo caminho que saíram, um muro baixo que tem atrás do presídio e que a Sejus nunca se interessou em aumentar – por que será, né mesmo?. Nas guaritas localizadas na extensão desse muro nunca tem vigias para conter as fugas de presos – precisa perguntar de novo por que será?

E nesse mesmo Compaj, detentos enfileirados apareceram em vídeo publicado pela Folha.uol cheirando cocaína que é distribuída livremente pelos “xerifes” da cadeia para manter esses homens sob seus controles, fazendo o que bem determinarem, até roubar e matar. Um desses “xerifes” é exatamente Zé Roberto com quem o subsecretário faz acordo. E enquanto o Governo faz acordo com a bandidagem, nossos jovens estão sendo presos todos os dias por causa de entorpecentes, e lotando as cadeias, e de lá sairão muito pior do que entraram já que passarão a fazer parte dessa “família” citada pelos traficantes. Esse mesmo Governo cujo senador eleito, Omar Aziz, ganhou a eleição aparecendo com lágrimas nos olhos, emocionado por ter feito uma casa de recuperação para mil dependentes químicos, permite que o tráfico atue livremente viciando milhares de meninos e meninas, com a devida aquiescência de um Governo subserviente para com a criminalidade, onde a única coisa que interessa é ganhar voto.   E isso que relatei até agora é “fichinha” diante do que tem no áudio postado pela Veja Online e que você pode ler e ouvir na íntegra no link abaixo:

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/governo-do-amazonas-negocia-apoio-de-traficantes-para-o-2-turno