‘Vejo com muita preocupação’, diz Serafim sobre retorno de garimpeiros ao Rio Madeira

O deputado Serafim Corrêa (PSB) falou sobre o assunto na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam)

rio madeira serafim

Foto: Reprodução

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) criticou, na manhã desta terça-feira (12), na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a ausência do Governo Federal nos rios que compõem a Amazônia e que estão sendo alvos constantes do garimpo ilegal, como é o caso do Rio Madeira, na região de Autazes e Nova Olinda do Norte.

“Vejo com muita preocupação esse fato. Este não é o garimpeiro artesanal. Uma balsa desta custa, no mínimo, R$ 1 milhão. Quem tem R$ 1 milhão não é um garimpeiro artesanal. Tem alguém por detrás deles. Para que estas balsas funcionem, elas precisam de diesel. E esse diesel está sendo roubado pelos piratas dos Rios Madeira e Rio Purus. Isto é algo que diz respeito a todos os poderes em todos os níveis”, disse o deputado.

O líder do PSB na Casa Legislativa apontou a necessidade do aumento do efetivo da Marinha do Brasil para o monitoramento dos rios amazônicos.

“Do que adianta termos 200 mil fuzileiros navais na Praia de Copacabana, em Ipanema, no Leblon, no Rio de Janeiro, e não termos corvetas monitorando os rios amazônicos? É aqui que a Marinha tem que aumentar o seu efetivo. Diminui no Rio de Janeiro e aumenta aqui. Monitora os nossos rios, protege as nossas balsas que levam os combustíveis para os lugares mais distantes, onde o amazonense teimosamente persiste em ser brasileiro”.

Para Serafim é preciso união dos governos federal, estadual e municipal para reforço nas medidas de segurança e proteção da região.

“Reitero que não pode continuar a ausência do estado brasileiro no sentido amplo. Governos federal, estadual e municipais têm que encaminhar soluções. A violência está grande na cidade, mas nos rios ela está tão grande ou até mais do que nas cidades”, concluiu.

(*) Com informações da Assessoria