Vendeu o voto? Votou por pressão ou ameaça? Não analisou em quem estava votando? Então, depois não vem reclamar que o Radar não vai te escutar!

voto consciente

Muito se fala sobre políticos que compram votos, que fazem favores para ganhar eleição, que usam o poder do cargo ou função que ocupam pra poderem pressionar os eleitores, ou que mentem e enganam descaradadmente o eleitorado, mas se passa ao largo, ou se minimiza, a responsabilidade dos eleitores nessas situações. Pois, eu digo, que só existem politicos que agem desse jeito porque existem eleitores que compactuam com esse tipo de coisa. Só existe corruptor porque tem gente que se corrompe. E abomino tanto quem compra o voto, quanto quem o vende, ou até mais quem troca voto por dinheiro e favores. Ou os covardes que cedem às pressões politicas, e ainda quem não verifica em quem está votando, quem não avalia a vida pregressa do seu candidato.

Minha indignação contra quem usa o voto como moeda de troca é porque o cara está vendendo o futuro das nossas crianças, a perspectiva de uma vida melhor para seus irmãos. Ele está fazendo tal qual Judas, trai a Nação e a vende por 30 moedas. E aí, Deus em sua infinita bondade,  pode até perdoar um indivíduo desses, mas que Deus me perdoe por não ter nenhuma compreenssão, nem qualquer tipo de simpatia, por uma pessoa desse tipo. Isso me veio à mente quando vi os jogos da seleção brasileira, durante a Copa do Mundo. Gente que faz pose de patriota na hora do Hino Nacional e chega até mesmo a chorar dizendo-se emocionado por tão grande amor que tem pela Pátria!

E sai dali e não vê nada de errado em ensinar o filho a levar vantagem em cima de um semelhante, ensinar que corrupção é sinônimo de esperteza, não de mau caratismo. Que vê com normalidade entregar o carro para um filho sem carteira ou ajudá-lo a não ser punido quando ele fica bêbado e espanca outro adolescente, ou agride um homosexual, ou até mata alguém no trânsito. Na maioria das vezes, o discurso é de que “é um bom menino só fez isso por causa das maus companhias”. E o exemplo que dá na hora do voto é trocar grana, ou favor de politico pelo apoio eleitoral, porque para essa gente, a ordem natural das coisas é se dar bem a qualquer preço.

E aqui no Radar, onde se respeita a opinião contrária de cada um, o candidato que cada um escolheu, onde ninguém impõe a ninguém suas escolhas. Onde o máximo que se faz é argumentar e discutir civilizadamente sobre o momento politico e as opções que estão aí, decidimos também que o eleitor tem que ser responsabilizado, não só por vender seu voto, como por se deixar enganar, não procurar saber de nada. Tem gente que vota até no número de um candidato que achou pelo chão nos locais de votacão, não é mesmo? Então, amigo, pense no que vai fazer. Na hora do voto é só você, a urna e a sua consciência. Depois não venha reclamar porque, a maior das verdades é que você é o culpado. (Any Margareth)