Vereador de Eirunepé, entra em festa de família de “penetra”, dá “cantada” na mulher e espanca o marido

vereador daniel eirunepéEsse é daqueles exemplos em que o político do interior acha que pode fazer o que bem entender no seu município porque não acontece nada com ele – infelizmente, raramente eles são punidos mesmos! Um desses casos que chegou ao conhecimento do Radar aconteceu no início do mês passado, bem no Dia do trabalhador, dia 1° de maio, no município de Eirunepé. Nesse dia, o professor Marizo Sérgio foi para casa de seu irmão, na rua João Toledo, no bairro de Aparecida, onde haveria uma festa  para comemorar o Dia do Trabalhador. Lá estariam presentes apenas as pessoas da família. A casa do irmão do professor Marizo fica próxima à residência do pai do vereador Daniel Silveira dos Santos (PROS), mais conhecido pelo nome político de vereador Daniel, que mesmo sem ter sido convidado, entrou na casa do vizinho, com uma lata de cerveja na mão e aparência de quem já está alcoolizado, e na maior cara de pau decidiu assediar a esposa do professor, convidando-a para conhecer a sua fazenda. Numa atitude de total desrespeito, o tal vereador nem sequer teve a sutileza de fazer isso em voz baixa. Diante das negativas da esposa do professor Marizo ao assédio, o vereador teria dito bem alto: “Pensa nesse caso”.

Diante disso, Marizo  foi perguntar a esposa o que estava acontecendo e ficou sabendo das propostas indecorosas feitas pelo vereador. Marizo então, disse ao vereador Daniel que ele convidasse sua própria família para ir à fazenda e não a família dos outros. E pediu que ele se retirasse já que nem tinha sido convidado, porque a festa era só entre pessoas da família. A reação do vereador foi agir com violência, agredindo Marizo fisicamente, aos berros de que era vereador e tinha que ser respeitado. Foi quando o irmão de Marizo, o dono da casa, viu que seu irmão estava sangrando por conta da agressão do vereador, pegou sua espingarda e tentou por três vezes atirar no vereador “garanhão”, mas a arma travou nos dois primeiros disparos, e o terceiro tiro não chegou a atingir o parlamentar, que fugiu do local. Felizmente isso aconteceu porque senão teria ocorrido uma tragédia e o cidadão que teve a casa e a família desrespeitada é quem ia parar na cadeia, perdendo sua liberdade e o convívio com sua família por causa de uma agressão moral e física cometida por um agente público que deveria era dar exemplo.

O professor Marizo e seus familiares registraram ocorrência na polícia contra o vereador e deram entrada em ação na Justiça por danos morais e materiais, com pedido de indenização. Mas, como de costume, o vereador que entra na casa do outros sem ser convidado, assedia a mulher alheia, agride o marido ofendido, e acha que merece respeito, ainda não sofreu qualquer punição por tal atitude, nem da polícia, nem da Justiça  (Any Maragreth).

IMG-20140513-WA0000