Vereador de Nova Olinda condenado a 8 anos de cadeia se reelegeu “pendurado” numa liminar; TJAM vai julgar recurso

vereador-nova-olinds-capaPelo que tudo leva a crer, finalmente, vai se ter uma resposta da Justiça para uma daquelas situações que, nem já tendo vivido muito e visto de tudo, ainda se fica boquiaberto. Apesar de ter sido condenado há 8 anos de prisão, em regime fechado, por tráfico de drogas, em 2013, o irmão do prefeito de Nova Olinda do Norte, vereador e ex-presidente da Câmara daquela cidade, Carlos Rodrigues da Silva (SDD), ao invés de ir pro xilindró, que é o que acontece com todo pobre que é encontrado com meia dúzia de “trouxinhas” na periferia da cidade, foi mesmo é pra eleição e foi reeleito usando uma liminar concedida pela desembargadora Encarnação das Graças Sampaio Salgado – preciso dizer quem é não, né mesmo?

O vereador Carlos Rodrigues foi condenado pela juíza de Nova Olinda, Sheilla Jordana de Sales, após denúncia feita pela Promotoria de Justiça (MPE) daquela comarca, em novembro de 2013 e ainda teve seus direitos políticos suspensos. Mas, mesmo assim, coordenou sua própria campanha e a do irmão prefeito, Joseias Lopes, ambos candidatos à reeleição. O irmão perdeu para Adenilson Reis, mas ele foi reeleito.

Em mais um capítulo desse “causo” que se arrasa há três anos, a decisão agora está nas mãos do juiz Jomar Fernandes, convocado pelo TJAM para atuar como desembargador.

Segundo a assessoria de Jomar Fernandes, o recurso de Carlos Rodrigues para tentar continuar livre e assumir como vereador reeleito deverá ir a julgamento na Segunda Câmara Criminal, do Tribunal de Justiça do Amazonas, no próximo dia 19 deste mês, em apelação da condenação por 8 anos, em regime fechado, por associação ao tráfico de drogas e tráfico de drogas.  Informações do TJAM dão conta de que o processo já está concluso para julgamento.

Mas caso não consiga se livrar de condenação no Tribunal de Justiça, Carlos Rodrigues, mesmo diplomado, perderá o mandato porque irá cumprir a pena de 8 anos de prisão em regime fechado e perderá sua cadeira na Câmara Municipal.

O vereador é apontado no processo como fornecer e distribuidor das drogas que circulam no município de Nova Olinda do Norte. Na denúncia do Ministério Público do Estado do Amazonas também estão envolvidos os nomes de Rony Pontes dos Santos, assessor do prefeito, e Valdemir Guimarães. (Any Margareth)