Vereador denuncia Augusto Ferraz de ‘terceirizar’ cargo de prefeito em Iranduba

Parlamentar de Iranduba afirmou que o prefeito apenas fica "passeando" pela cidade

À esquerda o prefeito Augusto Ferraz e à direta o vereador Luis Velho

Em denúncias ao Radar Amazônico, o vereador de Iranduba, Luis Carlos Velho (Republicanos), criticou duramente a gestão do prefeito Augusto Ferraz que até agora nada teria feito pelo município localizado a 27 quilômetros de Manaus. Entre as críticas, Luis Velho falou que o gestor do município teria aumentado o IPTU em plena pandemia e ainda terceirizado, segundo ele, o cargo de prefeito.

De acordo com o vereador Luis Velho, o prefeito teria contratado uma pessoa que não foi eleita para estar à frente da prefeitura enquanto o gestor “passeia pelo município“. Além disto, segundo o vereador, em 2021, emendas parlamentares no valor de R$ 150 mil, que teriam sido destinadas à Iranduba, não foram usadas.

“O dinheiro foi destinado à população de Iranduba que passa por dificuldades financeiras. Esta é uma gestão desastrosa. Não tem uma sala de aula reformada, nada foi entregue, nem uma rua foi asfaltada. Tem uma emenda de R$ 150 mil que nem foi usada e o dinheiro ‘sumiu’. Ele (Augusto Ferraz) está só passeando. Ele ‘terceirizou’ a prefeitura”, declarou Luis Velho ao Radar.

O vereador também comentou que está movendo uma ação contra Ferraz para pedir a devolução de R$ 1,2 milhão, pela suposto desvio de verbas públicas do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) – ver documento ao final da matéria – referente aos meses de  fevereiro e agosto de 2021. “Finalizamos essa semana a investigação e estamos encaminhando ao Ministério Público do Amazonas (MPAM) pedindo a devolução dos valores”, explicou.

Ainda de acordo com o vereador Luis Velho, a Guarda Municipal estaria sendo usada para segurança pessoal de um homem identificado como Gilberto Satanás, mesma pessoa responsável por anunciar o aumento de IPTU e do valor para emissão do documento de Alvará de Funcionamento e que estaria atuando no lugar do prefeito.

Polêmicas

Augusto Ferraz vem colecionando diversas polêmicas à frente da Prefeitura de Iranduba. Recentemente, ele viralizou após ter xingado uma pessoa que participava de um protesto liderado por mulheres, realizado em março deste ano. O prefeito também teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

Gastos

Na última semana, o Radar noticiou que o prefeito Augusto Ferraz vai gastar mais de R$ 10 milhões com a contratação da empresa L.R.M Construções e Empreendimentos LTDA., para a prestação de “serviços de engenharia para manutenções prediais preventivas e corretivas dos serviços integrados às instalações prediais”. As informações constam no Diário Oficial Eletrônico dos Municípios do Estado do Amazonas, publicado no último dia 11.

A Prefeitura de Iranduba não informou onde os “serviços de engenharia para manutenções prediais” devem ser feitos, mas em simples consulta, o Radar Amazônico constatou que, com o valor, seria possível construir cerca de 20 escolas, a exemplo de uma unidade de ensino construída em Tapauá (a 448 quilômetros de Manaus), ao valor de R$ 470 mil.

Posicionamento

O Radar Amazônico entrou em contato com a Prefeitura de Iranduba que respondeu que a pessoa citada “usando guardas municipais como seguranças pessoais” seria Gilberto Alves de Deus, que é secretário de Meio Ambiente e que este não seria servidor terceirizado, mas estaria à frente da prefeitura atuando como “coordenador de secretarias”.

Em relação ao aumento de IPTU, a assessoria informou que “os valores estão sendo cobrados dentro do que se estabelece a Lei” e que o dinheiro arrecadado vai integralmente para os cofres da prefeitura.

Confira o documento na íntegra