Vereador do Rio se recusa a ser número 24 em lista de votação sobre Linha Amarela

Durante votação nominal na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro sobre a encampação da Linha Amarela pela prefeitura do Rio, via expressa que liga as zonas oeste e norte, o vereador Marcelino D’Almeida (PP) se recusou a proferir o seu voto por corresponder ao número 24 na lista de votação. No jogo do bicho, o número é representado pelo veado, o que se tornou motivo de brincadeira preconceituosa e homofóbica entre homens.

Ao ouvir seu nome sendo chamado na lista de votação, Marcelino permaneceu em pé em silêncio, enquanto demais colegas reagiam com risos e vaias ao fundo. Em seguida, foi advertido e pressionado pelo presidente da Câmara, Jorge Felippe, de que deveria votar em segunda chamada, e assim o fez.

A encampação foi aprovada por 47 votos em sessão extraordinária. A pedido do presidente da Câmara, a proposta foi dispensada da análise da redação final. Com isso, o projeto já aprovado foi levado ao prefeito antes do fim da tarde.

A disputa entre a administração municipal da Linha Amarela e a Lamsa, que tem a concessão da via até 2037, é antiga. O município já mandou liberar a cobrança do pedágio em um dos sentidos da via em três oportunidades. Todas as iniciativas foram derrubadas na Justiça.