Vereador-sobrinho de Adail que ameaçou a Rede Globo por denunciar titio “caboco macho”, apronta mais uma lambança (ouvir áudio)

O vereador do município de Coari Keiton Pinheiro, sobrinho do ex-prefeito Adail Pinheiro, cassado e preso, aprontou mais uma das suas “lambanças”, semelhante àquela de dizer que ia “sobrar até pra Rede Globo” por ter denunciado seu tio, “porque quando mexe com Adail, mexe com caboco macho”. Mas, como no caso anterior, o nobre edil sempre esquece de observar que está sendo gravado e acaba virando piada nas redes sociais.

Desta vez, Keiton Pinheiro se juntou com o ex-diretor do Hospital de Coari, Marley Plácido de Andrade, exonerado do cargo em outubro do ano passado pelo prefeito, Raimundo Magalhães, após inúmeras reclamações de cidadãos da cidade sobre sérios problemas no atendimento do hospital. Os dois, Keiton e Marley, fizeram um documento que denominaram de “dossiê sobre o caos na saúde pública de Coari” que estavam tentando emplacar na imprensa de Manaus, desde o ano passado, sem que ninguém desse crédito.

Nesse feriado de Carnaval, finalmente eles conseguiram alguma coisa. Um dos jornais locais colocou algumas denúncias do tal dossiê, mas como manda o bom e tradicional jornalismo, com a respectiva resposta da Prefeitura de Coari. Também falou sobre o tal dossiê, uma emissora de rádio e televisão, mas sem entrar em contato para ouvir o outro lado – aquela mesma que ganhava, com pouquíssimo esforço, R$ 4 milhões por ano do dinheiro sofrido do povo de Coari na época da prefeitura de Adail. Nem precisar dizer qual é, né mesmo meu povo?

Mas, assim como no caso da “bronca” com a TV Globo que ia levar retaliação do “titio caboco macho”, Keiton Pinheiro esqueceu que em tempos de mídias sociais o que se diz pode ser gravado e viralizar pra tudo que é canto. E foi exatamente isso que aconteceu de novo, durante visita do vereador Keiton Pinheiro ao Hospital Regional de Coari, no dia 08 de janeiro.  Keiton foi recebido pela diretora da unidade de Saúde, enfermeira Zudimarina Soares de Castro, fez todos os questionamentos que estão no tal do dossiê e não ficou sem resposta pra nenhum deles, desde falta de medicamentos, passando por ares-condicionados, equipamentos, e até mesmo  o que ele nem sabia dizer o nome – tropeçando nas palavras, Keiton Pinheiro falou sobre alguma coisa que tinha a ver com bebês e que a diretora conseguiu decifrar como sendo incubadora.

Na conversa com a diretora, o vereador chega a dizer que está feliz porque os problemas foram resolvidos e, se dando por satisfeito, se despede e vai embora. Mas, um mês depois, como se não tivesse ido ao hospital e checado com seus próprios olhos o que está acontecendo por lá, o vereador envia o tal dossiê com as mesmas denúncias de antes à imprensa. Só que, sabiamente, a diretora do hospital gravou a conversa e passou pro Radar pra mostrar mais esta lambança do vereador sobrinho de Adail – foi pego na palavra, de novo!

Passarinhada

Desta vez, quem sabe para dar um certo ar de credibilidade ao tal “dossiê” que foi enviado a tudo que é veículo de imprensa, o ex-diretor do Hospital Regional de Coari, Marley Plácido de Andrade, e o vereador-sobrinho de Adail, Keiton Pinheiro, enviaram as denúncias em papel com a logomarca de uma empresa de nome Thompson Marketing Audiovisual Comunicação, cujo homônimo é ninguém menos que o assessor de imprensa do vereador Iran Medeiros, que até hoje não aceita o fato do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) tê-lo tirado da Prefeitura de Coari para dar posse ao segundo colocado nas eleições de 2012, Raimundo Magalhães.

Vale lembrar que Thompson é apontado, entre tantas armações pró-Iran, de ser o “mentor intelectual” da acusação, através de um vídeo enviado à imprensa, contra o vereador Merelo, que supostamente teria patrocinado manifestações de professores contra o então prefeito em exercício e presidente da Câmara, Iran Medeiros. Descobriu-se logo depois que a acusação contra Merelo era uma farsa, porque o tal “mentor” parece não ter tido lá muita “intelectualidade”, já que acabou passando para um jornalista o seu próprio telefone para que o profissional de imprensa entrasse em contato com o denunciante que enviou o vídeo à imprensa – êta passarinhada, né mesmo gente?

E o dito jornalista é contumaz em se autodedurar e ainda entregar o “chefe” Iran Medeiros de quebra. Vou contar só mais uma passarinhada!. Como é do costume de Iran Medeiros no trato com a coisa pública, durante o tempo em que esteve como presidente da Câmara de Coari, ele criou um cargo de assessor de imprensa do Legislativo para abrigar Thompson e ainda poder pagá-lo com dinheiro público, isso logicamente na surdina. Thompson foi para as redes sociais comemorar a criação do cargo e do salário de R$ 4.500. Pode, gente?

Desta vez, apesar do “dossiê” sequer citar o nome de Iran Medeiros, Thompson, tasca o nome da empresa, dedura a si próprio e, de novo, ao seu assessorado. É muita esparrela para um grupo só, né mesmo meu povo? (Any Margareth)