Veterinário acusado de assediar estagiárias é condenado a três anos de prisão

Foto: reprodução

O veterinário Pedro Monteiro da Silva Junior, de 57 anos, foi condenado a três anos de prisão por assédio e importunação sexual contra estagiárias na área veterinária cometidos em diferentes períodos. O primeiro registro foi em dezembro de 2015 a março de 2016 e o último no dia 09 de setembro de 2020. O veterinário foi condenado pela juíza Margareth Hoagen, da 4ª Vara Criminal de Manaus.

A última ocorrência – em 2020 – foi denunciada através de uma matéria exclusiva no Radar. A universitária Bianca Lima Alves, trabalhava com Pedro em uma clínica no bairro Manoa, Zona Norte de Manaus. Ela disse que o veterinário começou a assediá-la com conversas inapropriadas como sexo e nudes. “Ele me contava como transava loucamente com a antiga recepcionista quando sua esposa não estava na clínica”, contou.

Bianca registrou o Boletim de Ocorrência (B.O) no 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP) e, depois encaminhada à Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM). Depois que a denúncia repercutiu, outras mulheres também romperam o silêncio e relataram os traumas vividos com o médico.

Com a repercussão do caso, a deputada estadual Joana Darc (PL) denunciou o suspeito no Conselho de Medicina Veterinária (CRMV) e prestou assistência às vítimas através da Comissão da Mulher da Assembleia Legislativa do Amazonas, juntamente com a Deputada Alessandra Campêlo (MDB).

Joana Darc também informou que está requerendo junto ao Conselho o pedido de cassação do Registro Profissional do veterinário para que o mesmo não continue exercendo o cargo, pois os crimes ocorreram no exercício da profissão. “Esses crimes aconteceram dentro de uma clínica e isso fere diversos princípios do Código de Ética do Médico Veterinário”, justificou a parlamentar.

Denuncie

O assédio contra mulheres envolve uma série de condutas ofensivas à dignidade sexual que desrespeitam sua liberdade e integridade física, moral ou psicológica. As pessoas que já sofreram algum tipo de assédio sexual, podem denunciar o delito pelo disque 100. No Brasil, a Lei 12.015/2009 integra o Código Penal e protege as vítimas nos casos dos chamados ‘crimes contra a dignidade sexual.

Se estiver sendo vítima de violência física e precisa de ajuda imediata ligue gratuitamente para o 190 ou para o Ronda Maria da Penha através do telefone (92) 98842-2258.