Vice-prefeito de Coari e vereadores estariam tramando um golpe para salvar grupo político de Adail

vice-prefeito em reuniãoNoticias captadas pelo repórter Radar em Coari dão conta de que vereadores da Câmara do município vieram para Manaus, assim como o vice-prefeito e prefeito em exercício de Coari, Igson Monteiro, e estiveram reunidos nos  últimos dois dias com advogados, inclusive os que atuam na defesa do prefeito Adail Pinheiro, preso há quase dois meses, articulando uma saída jurídica para que uma possível cassação de Adail no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não significasse a “queda” do Poder de todo o seu grupo político. As informações que chegaram ontem ao Radar apontam para a cassação de Adail Pinheiro pela Câmara de vereadores do município, através da Comissão processante, instalada há um mês, mas que até agora não conseguiu nem mesmo notificar o procurador do município, Aldo Evangelista, para fazer a defesa do prefeito, porque o procurador se recusar sequer a assinar o documento. A cassação, segundo as fontes que confidenciaram a trama, teria o objetivo de fazer o processo de cassação votado no TSE “perder o objeto”, para que o grupo político de Adail Pinheiro possa se manter no poder com a permanência de seu vice, Igson Monteiro, como prefeito de Coari. “Não vejo instrumentos jurídicos para tal já que o julgamento no TSE é do registro de candidatura de Adail,e no caso de perder o registro,  é como se não existissem os votos que recebeu nas eleições passadas. E os votos que recebeu também estão vinculados ao seu vice, então os dois perderiam os cargos no Executivo”, explicaram, em linguagem simples, dois advogados com os quais o Radar fez contato em busca de orientação. Mas, todos os dois arrematam: Mas, nada é impossível porque quando se fala de Adail Pinheiro, até boi voa, não é mesmo? (Any Margareth)