Vicente Lopes quer relatório da fiscalização do Banco do Brasil sobre obras pagas e não realizadas

VICENTE-LOPES-PMDB-DM-20-573x381

“O Banco do Brasil tem obrigação de se manifestar sobre o relatório e acompanhamento de obras do governo estadual, objeto de recentes denúncias do ex-secretário Gilberto de Deus (Secretaria de Infraestrutura), sob pena de parecer conivência do próprio banco”.  A opinião é do líder do PMDB, Vicente Lopes, que votou contra o projeto que autoriza o governo a contrair empréstimo no Banco do Brasil, no valor de até R$ 300 milhões, aprovado  no plenário da Casa, na manhã desta quarta-feira 25.

Com os votos contrários de Vicente Lopes, Wanderley Dallas (PMDB) e Luiz Castro (Rede), o plenário aprovou o financiamento que, de acordo com a mensagem assinada pelo governador José Melo (Pros), será utilizado em obras e desapropriações. Na terça-feira 24, o secretário José Lobo (Fazenda) compareceu ao plenário da Casa e falou aos deputados sobre projetos do Governo que estavam tramitando na Casa mas, como dizem popularmente, entrou mudo e saiu calado sobre as denúncias de desvio de dinheiro público no setor de obras do Estado.

Vicente Lopes sustenta que as denúncias do ex-secretário precisam de respostas do Governo.

“Gilberto de Deus pediu para dar explicações aos deputados, mas a Mesa Diretora não autorizou a sua presença”, lembrou o deputado, acrescentando: “Não podemos continuar autorizando o governo a fazer novos empréstimos, diante das graves denúncias do ex-secretário, para quem esta Casa não abriu espaço até agora. Fala-se de corrupção em Iranduba, Atalaia do Norte e outros municípios, mas o ex-secretário Gilberto de Deus não teve espaço para explicar suas denúncias sobre o pagamento de milhões em obras não realizadas”, afirma Vicente Lopes. “É algo estarrecedor e preocupante e o Estado tem de exigir que o Banco do Brasil apresente o seu relatório de fiscalização e acompanhamento”.

Luiz Castro afirmou concordar com Vicente Lopes e sustentou que nem o secretário José Lobo esclareceu como e onde, exatamente, os R$ 300 milhões serão aplicados. Não há informações técnicas,  nenhuma “transparência” e “nem ao menos uma estimativa”,   segundo Luiz Castro, que também reclama a presença de Gilberto de Deus.  “Concordo com o deputado Vicente Lopes: que o ex-secretário venha conversar com os deputados aqui, da mesma forma que fez o secretário José Lobo”, disse Luiz Castro.