Vigilante que confessou matar servidora do TRT tem prisão preventiva decretada em Manaus

O vigilante Caio Claudino estava preso temporáriamente desde o dia 31 do último mês

Na última quarta-feira (29), o agente de portaria Caio Claudino teve a sua prisão temporária convetida para prisão preventina. Ele é apontado como o assassino confesso da servidora do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, Silvanilde Ferreira, encontrada morta no último mês.

A prisão de Caio foi feita no dia 31 de maio, após ele confessar o crime. Para o delegado Ricardo Cunha, que é titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o crime se encontra como elucidado, sem possíveis mandantes ou outros suspeitos, com o caso sendo encaminhado para a Justiça.

Silvanilde foi encontrada morta pela filha, Stephanie Veiga, no dia 21 de maio. A vítima foi morta dentro do próprio apartamente, em um condomínio de luxo no bairro da Ponta Negra, na zona Oeste de Manaus.

A filha relevou que acionou a polícia após receber um alerta de socorro da mãe, com quem não conseguia contato. Ao chegar no local, encontrou a mãe morta em uma poça de sangue. Após as investigações, Caio foi visto pelo circuito interno entrando nos andares e posteriormente saindo ensaguentado. A polícia acredita que ele estava em busca de vítimas para roubar, pois era viciado em drogas, com Silvaneide apenas tendo sido alvo dessa ação criminosa, após não transferir o dinheiro para o assassino.

Posteriormente, em depoimento, Caio passou a negar ter matado a servidora, mas a polícia afirma que ele segue como único suspeito, com o caso já estando elucidado.