À vista com desconto ou a prazo sem juros? Economista dá as dicas

pagamentoO Natal está chegando, faltam só 10 dias.

No comércio, o número de ofertas e promoções só aumenta, uma tentação para quem quer comprar uma televisão nova, um celular mais moderno ou mesmo um computador ou tablet e avalia que sempre tem uma parcela que cabe no bolso.

O economista do Hora 1, Samy Dana, alerta que é preciso ter cuidado para escapar das armadilhas.

Para saber se a oferta realmente vale a pena, a primeira coisa é entender que as lojas que fazem promoções em vezes e dizem ser sem juros, dificilmente algo não tem juros, de fato. O que o consumidor tem que fazer, primeiro é checar se tem desconto à vista, e desconto também significa juros.

Se não tiver juros, para ter certeza, precisa confirmar e pesquisar em, pelo menos, três lojas, inclusive na internet. Outra dica é levar o preço de outra loja e ‘chorar’ um desconto, este argumento é bastante válido.

Confira a tabela abaixo e descubra quanto de desconto a loja precisa oferecer para valer a pena comprar à vista. Dependendo da taxa de juros e do número de parcelas, o desconto mínimo para pagar à vista muda.

Por exemplo, se a pessoa possui um investimento que rende 0,6% a.m, caso da poupança, vale a pena ela pagar à vista, ao invés de dividir em seis vezes sem juros, se o desconto for de 1,5% ou mais.

Outro exemplo, caso o consumidor tenha acesso a um crédito consignado que custe 3% a.m, vale a pena pegar este empréstimo e pagar à vista, ao invés de pagar em 10 vezes sem juros, caso o desconto seja de 12,1% ou mais.

extras-samy3

Fonte G1